Política / Transparência

App de celular que alerta para contato com infectados poderá ser usado em MS

Aplicativo de celular que faz mapeamento de risco do novo coronavírus e avisa os usuários que tiveram contato com algum caso confirmado poderá ser implantado em Mato Grosso do Sul. Procedimento administrativo foi instaurado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para avaliar junto à SES (Secretaria de Estado de Saúde) a viabilidade do […]

Danúbia Burema Publicado em 13/05/2020, às 17h35 - Atualizado às 19h05

(Foto: Ilustrativa)
(Foto: Ilustrativa) - (Foto: Ilustrativa)

Aplicativo de celular que faz mapeamento de risco do novo coronavírus e avisa os usuários que tiveram contato com algum caso confirmado poderá ser implantado em Mato Grosso do Sul. Procedimento administrativo foi instaurado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para avaliar junto à SES (Secretaria de Estado de Saúde) a viabilidade do sistema, que já está em funcionamento no Estado do Pernambuco.

Batizado de Dycovid (Dynamic Contact Tracing), o aplicativo foi desenvolvido durante um desafio de inovação lançado pelo MP daquele estado, em busca de soluções tecnológicas que ajudassem a conter a disseminação da Covid-19. A ferramenta desenvolvida pela Porto Digital funciona de forma anônima e gera um código de identificação ao ser baixada no celular.

Quando em movimento, ela identifica caso haja proximidade com número de telefone que conste no cadastro de casos confirmados da secretaria de Saúde. Assim, avisa o usuário do risco, mesmo sem identificar quem seria a pessoa infectada. A intenção é alertar os usuários e identificar o fluxo de contaminação. Por ter sido vencedor do desafio para o qual havia inclusive premiação em dinheiro, o app é considerado propriedade do Estado.

No procedimento publicado no Diário Oficial desta terça-feira (13), o MPMS determinou que sejam expedidos ofícios à secretaria de Estado de Saúde de Pernambuco para solicitar informações sobre o funcionamento. A possibilidade de implantação do aplicativo no Estado será acompanhada pela 32ª Promotoria de Justiça da Saúde Pública.

Jornal Midiamax