Política / Transparência

MPMS quer anulação de 16 questões em concurso com 99,5% de reprovação

A 30ª Promotoria do Patrimônio Público de Campo Grande, do MPMS (Ministério Público Estadual) publicou nesta quinta-feira (1º) uma recomendação para que a SED (Secretaria Estadual de Educação) e SAD (Secretaria Estadual de Administração) anulem 16 questões do concurso para professores que teve um índice de reprovação de 99,5%. Dos mais de 17 mil inscritos, […]

Evelin Cáceres Publicado em 01/08/2019, às 10h23 - Atualizado às 13h58

None

A 30ª Promotoria do Patrimônio Público de Campo Grande, do MPMS (Ministério Público Estadual) publicou nesta quinta-feira (1º) uma recomendação para que a SED (Secretaria Estadual de Educação) e SAD (Secretaria Estadual de Administração) anulem 16 questões do concurso para professores que teve um índice de reprovação de 99,5%. Dos mais de 17 mil inscritos, apenas 75 foram aprovados.

Professores doutores da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) fizeram a análise técnica da prova e constataram que seis questões tinham conteúdo não previsto no edital. Outras seis teriam mais de uma alternativa correta e outras quatro não tinham alternativa correta. Além disso, as quatro questões restantes não teriam informações suficientes no enunciado para que fossem solucionadas pelo candidato.

Para solicitar a anulação das questões, o promotor Marcos Alex Vera de Oliveira justifica que foram realizadas mais de 400 reclamações sobre a prova via ouvidoria, além de considerações de ordem técnica como a baixa qualidade da impressão de gráficos e figuras; redação confusa de enunciados e erros de formulação das questões.

Após a anulação, as secretarias devem republicar o resultado da primeira fase do concurso público para provimento de cargos de professor da Rede Estadual de Ensino, observada a eventual nova ordem de classificação dos candidatos e também refazer as fases subsequentes do certame, com a convocação dos candidatos aprovados conforme a eventual nova ordem de classificação.

As secretarias devem informar se adotarão as providências solicitadas na recomendação em até 15 dias.

Jornal Midiamax