Política / Transparência

Quatro deputados federais do MS votaram a favor de fundo eleitoral de R$ 2 bilhões

Após muita discussão e até arranca-rabos virtuais sobre o tema, o fundo eleitoral foi aprovado pelo Congresso Nacional na noite de terça-feira (17) estimando um orçamento de R$ 2,034 bilhões para aplicação dos partidos já nas próximas eleições, em 2020, que vão definir os vereadores e prefeitos dos municípios brasileiros. Inicialmente, a intenção era aprovar […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 18/12/2019, às 15h29 - Atualizado em 19/12/2019, às 09h23

Beto, Vander, Fábio e Dagoberto foram os deputados que votaram a favor do fundo eleitoral de R$ 2 bi
Beto, Vander, Fábio e Dagoberto foram os deputados que votaram a favor do fundo eleitoral de R$ 2 bi - Beto, Vander, Fábio e Dagoberto foram os deputados que votaram a favor do fundo eleitoral de R$ 2 bi

Após muita discussão e até arranca-rabos virtuais sobre o tema, o fundo eleitoral foi aprovado pelo Congresso Nacional na noite de terça-feira (17) estimando um orçamento de R$ 2,034 bilhões para aplicação dos partidos já nas próximas eleições, em 2020, que vão definir os vereadores e prefeitos dos municípios brasileiros.

Inicialmente, a intenção era aprovar um fundo de R$ 3,8 bilhões, porém, houve sinal de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetaria o projeto. Já a tentativa de alguns congressistas de baixar para R$ 1,3 bilhão o fundo não obtiveram êxito.

Entre os parlamentares sul-mato-grossenses, a votação na questão foi dividida. Conforme consta no sistema online de votação da Câmara Federal, o petista Vander Loubet e o pedetista Dagoberto Nogueira votaram a favor do fundo de R$ 2 bilhões.

Eles seguiram a orientação partidária, assim como aconteceu com Fábio Trad (PSD). Já o PSDB liberou seus deputados para votarem conforme preferissem. Beto Pereira votou a favor do fundo, enquanto Bia Cavassa e Rose Modesto foram contra.

O peesselista Luiz Ovando também votou contra a implementação de fundo eleitoral de R$ 2 bilhões, assim como determinou a orientação partidária. O outro deputado federal por Mato Grosso do Sul do partido, Loester Trutis, não participou da votação, segundo indica o sistema da Câmara Federal.

Enquanto o resultado entre os sul-mato-grossenses foi de quatro deputados a favor do fundo em R$ 2 bilhões e três contra, preferindo redução para R$ 1,3 bilhão, o resultado final foi de 242 a 167. Como o destaque que pretendia alterar o valor foi rejeitado, ele não seguiu para voto dos senadores.

Jornal Midiamax