Política / Transparência

Com dois meses de salário atrasado, técnico de enfermagem faz desabafo em vídeo

Indignado devido ao atraso de dois meses no salário, o técnico de enfermagem Jardel Leite Godoy, que trabalha no Hospital Rita Antônia Maciel Godoy em Caracol, cidade a 386 quilômetros de Campo Grande, gravou um vídeo falando sobre a falta de pagamento e publicou nas redes sociais. “Pessoal que está trabalhando dentro daquele hospital, está […]

Diego Alves Publicado em 26/12/2019, às 23h20 - Atualizado em 27/12/2019, às 08h18

Reprodução
Reprodução - Reprodução

Indignado devido ao atraso de dois meses no salário, o técnico de enfermagem Jardel Leite Godoy, que trabalha no Hospital Rita Antônia Maciel Godoy em Caracol, cidade a 386 quilômetros de Campo Grande, gravou um vídeo falando sobre a falta de pagamento e publicou nas redes sociais.

“Pessoal que está trabalhando dentro daquele hospital, está com dois meses de salário atrasado. E ninguém pode reclamar, porque se reclamar é mandado embora”, diz Jardel no vídeo. A reportagem tentou mais não conseguiu falar com o prefeito Manoel Viais (PR).

Em contato com o vereador Douglas Lopes Vilalba (PPS), o parlamentar confirmou o atraso e disse que será realizado uma sessão extraordinária na Câmara Municipal na manhã desta sexta-feira (27), para resolver o problema do atraso no pagamento dos funcionários do hospital.

“Marcado sessão extraordinária para amanhã, para o colegiado analisar se será montado uma comissão, uma CPI, para averiguar a destinação deste recurso, qual o motivo dos atrasos. Sabemos que o hospital passou por uma reforma recentemente, talvez tenham gasto com a reforma e não se atentaram com a questão da folha”, diz o vereador.

Douglas também diz que há outro agravante. Todo final de ano, os funcionários do hospital têm que fazer uma festa, no caso um bingo, para arrecadar dinheiro para o pagamento do próprio décimo terceiro salário.

Ainda segundo o vereador, todo ano, a Câmara aprova projeto de repasse da prefeitura da cidade, ao hospital que é uma associação beneficente. Por mês, a administração municipal tem que repassar R$ 100 mil ao hospital. A folha salarial gira em torno de R$ 60 mil e o restante é para outros custeios do hospital. Ao todo, a prefeitura tem de repassar R$ 1,2 milhão ao ano, para a folha salarial e outras despesas. Ainda segundo o vereador, todos os outros funcionários do município estão com os salários em dia.

Jornal Midiamax