Política / Transparência

Dez empresas são habilitadas em licitação de R$ 47 milhões para tapa-buracos

Três delas ganharam última licitação da Prefeitura

Joaquim Padilha Publicado em 19/07/2018, às 07h44 - Atualizado às 09h40

Acordos buscam garantir qualidade do asfalto de Campo Grande. (Foto: Divulgação/Prefeitura/Arquivo)
Acordos buscam garantir qualidade do asfalto de Campo Grande. (Foto: Divulgação/Prefeitura/Arquivo) - Acordos buscam garantir qualidade do asfalto de Campo Grande. (Foto: Divulgação/Prefeitura/Arquivo)

Dez empresas estão competindo pela licitação da Prefeitura de Campo Grande que irá designar as empreiteiras responsáveis pelos serviços de tapa-buracos no município. Ao todo, as construtoras podem receber até R$ 47,9 milhões.

Esse é o valor que deve cobrir os serviços nas sete regiões de Campo Grande: Centro (R$ 8,6 milhões), Anhanduizinho (R$ 10,7 milhões), Bandeira (R$ 6,2 milhões), Imbirussú (R$ 5,8 milhões), Lagoa (R$ 7,5 milhões), Prosa (R$ 4,7 milhões), Segredo (R$ 4 milhões).

Nesta quinta-feira (19), a Prefeitura publicou um aviso de habilitação das empresas interessadas no certame. Apenas uma empresa que entrou no processo licitatório, a HL Construtora Ltda, foi considerada inabilitada para todos os lotes.

Já as empresas Wala Engenharia Ltda, Gradual Engenharia e Consultoria Ltda, Engepar Engenharia e Participações Ltda, Construtora Alvorada Ltda, Pavitec Construtora Ltda, Diferencial Serviços e Construções Ltda e Construtora Rial Ltda foram habilitadas para atuarem em todas as regiões do município.

Duas outras empresas, Arnaldo Santiago ME e RR Barros Serviços e Construções Ltda foram habilitadas para atuarem apenas nas regiões do Bandeira, Imbirussú, do Prosa e do Segredo. A empreiteira Olipol Engenharia Comércio Ltda também foi habilitada para as mesmas regiões, menos a do Bandeira.

A licitação recebeu propostas ainda no último dia 4 de julho. Após a divulgação das empresas habilitadas e inabilitadas, a Prefeitura dá prazo de cinco dias para que as empreiteiras interessadas no certame entrem com recursos, antes de finalizar o processo licitatório

Última licitação

Dentre essas empresas, três delas já atuam nos serviços de tapa-buracos atualmente, depois de terem vencido a última licitação da Prefeitura, em dezembro do ano passado. Foram elas a Gradual Engenharia, a Diferencial e a Pavitec Construtora.

A Pavitec assinou dois contratos para operar na região do Bandeira e Segredo, por R$ 10 milhões. Já a Diferencial recebeu outros R$ 8,9 milhões para tapar buracos no Centro e no Imbirussu. A Gradual Engenharia ficou com a região do Prosa, num contrato de R$ 3,6 milhões.

O último procedimento licitatório para os serviços de tapa-buracos da Prefeitura foi marcado por questionamentos das empresas, e durou mais de oito meses. O certame foi aberto em março de 2017, mas só teve os contratos assinados em dezembro. Ao todo, R$ 34 milhões foram repassados às construtoras responsáveis pelos serviços.

Jornal Midiamax