Política / Transparência

Sefaz-MS prorroga por 12 meses contrato com PSG Tecnologia Aplicada

Este já é o segundo aditivo no contrato

Ludyney Moura Publicado em 30/11/2017, às 11h30

None

Este já é o segundo aditivo no contrato

O governo estadual, por intermédio da Sefaz-MS (Secretaria de Estado de Fazenda), prorrogou por mais um ano o contrato de prestação de serviço na área de informática com a PSG Tecnologia Aplicada, empresa investigada no âmbito da Operação Lama Asfáltica.

De acordo com publicação feita no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (30), a empresa prestará ‘serviços de informática para atendimento às demandas da Sefaz’ até o fim de novembro de 2018.Sefaz-MS prorroga por 12 meses contrato com PSG Tecnologia Aplicada

O contrato inicial foi assinado em novembro de 2015 pelo ex-titular da pasta, Marcio Monteiro, hoje conselheiro no TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado), e pelo empresário Antônio Celso Cortez, com valor de R$ 10.739.880,00 (dez milhões e setecentos e trinta e nove mil e oitocentos e oitenta reais).

Apesar de já ter deixado a Sefaz, e o comando do diretório regional do PSDB, quem assina o aditivo publicado hoje também é o ex-secretário Marcio Monteiro.

A PSG também aparece nas investigações comandadas pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) na ação de improbidade administrativa que envolve o ex-governador André Puccinelli (PMDB) e o empresário João Baird, que seriam responsáveis por deixar o Estado ‘dependente de empresas de informática’.

De acordo com o Portal de Transparência do governo estadual, a PSG deve receber, somente em 2017, quase R$ 60 milhões, por serviços prestados, à Sefaz e Detran (Departamento Estadual de Trânsito). 

Jornal Midiamax