Política / Transparência

Promotor cita crise e pede que prefeitura não use R$ 120 mil para ‘Carnario Folia’

Prefeito diz que vai acatar pedido

Evelin Cáceres Publicado em 28/09/2017, às 14h20

None

Prefeito diz que vai acatar pedido

O MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) recomendou que a Prefeitura de Rio Negro, distante 163 quilômetros de Campo Grande, não realize o 17º Carnario Folia, que utilizaria R$ 120 mil em recursos públicos, por conta da ‘crise’. O pedido foi publicado no diário oficial do órgão desta quinta-feira (28).

Promotor de Justiça responsável pelo pedido, Thiago Bonfatti Martins alegou que a festa custeada com recursos públicos é incompatível com a situação financeira atual do município ‘e com o momento de crise que atravessa, constituindo assim nítida ofensa aos princípios da razoabilidade e proporcionalidade’.

Prefeito da cidade com pouco mais de 4,8 mil habitantes, Buda do Lair (PSDB) afirmou que acatará a recomendação do Ministério. “Realmente não estamos em um momento bom na economia. Herdamos dívidas da gestão anterior, como quatro folhas atrasadas de pagamento e R$ 350 mil de transporte escolar também. Já pagamos mais da metade, mas ainda assim o momento é difícil”, ponderou.Promotor cita crise e pede que prefeitura não use R$ 120 mil para ‘Carnario Folia’

A festa ia acontecer entre os dias 13, 14 e 15 de outubro com a banda Brasil 2000, do Paraná. “A gente até poderia manter a festa se contasse com algum apoio da Secretaria Estadual de Cultura, mas está muito próxima já a data e sem parceria é impossível”, explica.

 O promotor solicita que a resposta seja encaminhada formalmente pela prefeitura em até dez dias. 

Jornal Midiamax