Política / Transparência

Alimentos para merenda da Capital podem custar até R$ 38,2 milhões

14 empresas vão fornecer alimentação para a Prefeitura

Joaquim Padilha Publicado em 04/10/2017, às 12h39

None

14 empresas vão fornecer alimentação para a Prefeitura

A Prefeitura de Campo Grande assinou nesta quarta-feira (4) uma ata para registro de preços com empresas que irão fornecer alimentos para a gestão municipal pelos próximos doze meses. As empresas podem receber até R$ 38 milhões ao todo.

Foram 14 empresas que venceram uma licitação aberta pela Prefeitura em maio deste ano. Com as propostas apresentadas, podem ser economizados até R$ 27,8 milhões com a compra dos gêneros alimentícios – a licitação tinha um valor máximo para gastar com os alimentos de até R$ 66,1 milhões.

Os produtos alimentícios deverão ser utilizados na merenda escolar de alunos das escolas municipais da rede pública e Ceinfs (Centros de Educação Infantil). As compras também devem atender pacientes do Hospital da Mulher e s programas de acolhimento a pessoas em vulnerabilidade social, como deficientes, moradores de rua e migrantes.Alimentos para merenda da Capital podem custar até R$ 38,2 milhões

Segundo o edital da licitação, as empresas deverão fornecer 101 tipos diferentes de gêneros alimentícios à Prefeitura, sendo que cada empresa ficará responsável pelo fornecimento de uma parte dos alimentos.

Foram listados no rol de gêneros que devem ser adquiridos pela Prefeitura açúcares, amido de milho, arroz, biscoitos, chá mate, farinha de trigo, feijão, fermento, fubá, gelatina, leite em pó, macarrão, óleo de soja, sal, vinagre, orégano, erva doce, entre outros produtos.

Como se trata de ata de registro de preços, a Prefeitura deverá escolher quanto dos produtos listados deverão ser comprados pelos preços propostos pelas empresas, sendo o valor de R$ 38,2 milhões apenas uma estimativa do máximo que pode ser gasto com o contrato.

Jornal Midiamax