Política / Transparência

SED rescinde contrato com empresa investigada na Lama Asfáltica

Empresa é investigada por contratos de terceirização

Joaquim Padilha Publicado em 27/06/2016, às 11h06

None
digitho.jpg

Empresa é investigada por contratos de terceirização

O Governo do Estado divulgou nesta segunda-feira (27) que a Secretaria de Estado de Educação rescindiu contrato com a empresa de informática Dighitobrasil Soluções em Software. A empresa, que fornecia softwares de gestão para a pasta, mantinha contrato com a Secretaria desde 2011.

A empresa é alvo da força-tarefa da Lama Asfáltica do MPMS (Ministério Público Estadual), por denúncias de que seus funcionários estariam realizando funções específicas de servidores efetivos, atuando como fiscais nos postos de Fiscalização da Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda). As investigações seguem em sigilo desde fevereiro deste ano.

A Digitho integra uma ação de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público contra o ex-governador André Puccinelli (PMDB), o ex-secretário de Estado de Fazenda Mario Sérgio Lorenzetto, o ex-adjunto da pasta André Luiz Cance, o ex-superintendente de Gestão da Informação, Daniel Nantes Abuchaim, a Itel Informática, bem como seu proprietário, o empresário João Baird.

De acordo com as investigações, durante a gestão Puccinelli, Baird e seu grupo teriam fechado mais de 30 contratos terceirizados firmados no âmbito da tecnologia da informação, mesmo tendo mão de obra qualificada no quadro de funcionários e pedido de realização de concurso público. Tais contratos ultrapassam R$ 252 milhões.

“Desses, destacam-se aqueles instrumentos firmados com a Itel Informática, PSG Tecnologia Aplicada e Digitho Brasil Soluções, dado os exorbitantes valores das contratações. (…) Merece ser mencionado, também, que há notícias de que a Itel, PSG e Digitho fazem parte do mesmo conglomerado econômico", dizem os promotores que investigam o caso

A informação da rescisão de contrato foi divulgada em um extrato publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Estado. De acordo com a publicação, o processo teria sido consensual. Apesar de ter sido assinada em 31 de maio, a rescisão só foi publicada nesta segunda-feira.

(Sob supervisão de Evelin Araujo)

Jornal Midiamax