Política / Transparência

Pavimentação da MS-382 que custou R$ 21 milhões segue paralisada por um ano

Obra utiliza recursos do Fundersul

Joaquim Padilha Publicado em 02/09/2016, às 11h40

None
ms-382.jpg

Obra utiliza recursos do Fundersul

A paralisação das obras de pavimentação asfáltica da rodovia MS-382, no trecho entre Bonito e a Serra da Bodoquena, foi prorrogada mais umas vez por 120 dias. Essa é a terceira vez que a obra, avaliada em R$ 21 milhões, custeada com recursos do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul), é paralisada pelo mesmo prazo.

A execução dos trabalhos, pela empresa Construtora Alvorada Ltda, teve início em 8 de dezembro de 2014, data em que o contrato com a empreiteira foi assinado pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos). A primeira paralisação, também de 120 dias, veio um ano depois, em 18 de dezembro de 2015.

Em abril deste ano o prazo da paralisação foi prorrogado por mais 120 dias, e de acordo com um novo termo de prorrogação de paralisação publicado no Diário Oficial do Estado, a obra seguirá interrompida até dezembro de 2016, totalizando um ano dos serviços paralisados.

Outra obra que permanece sem execução é a de ampliação do sistema de esgoto sanitário de Amambaí, município distante a 350 quilômetros de Campo Grande. De acordo com o Portal da Transparência do Governo Estadual, a obra que tinha valor atualizado de R$ 4,5 milhões já está avaliada atualmente em R$ 8,7 milhões.

A primeira paralisação dos serviços, tocados pela Poligonal Engenharia, também de 120 dias, foi expedida em 9 de janeiro de 2016, por ordem da Agesul. Nesta quinta-feira foi publicado no Diário Oficial do Estado um termo de prorrogação dessa paralisação por mais 120 dias, a contar do dia 8 de maio. Seguindo o calendário, o prazo de interrupção dos serviços deve terminar ainda em setembro deste ano, caso a paralisação não seja prorrogada mais uma vez.

(Sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax