Política / Transparência

Empresário consegue liminar para se defender na Coffee Break

Gaeco sofreu segunda derrota em uma semana

Midiamax Publicado em 28/01/2016, às 09h45

None
baird.jpg

Gaeco sofreu segunda derrota em uma semana

Os advogados do empreiteiro João Baird  conseguiram liminar para que ele consiga se defender na Operação Coffee Break. Esta é a segunda derrota do Gaeco na semana. A primeira ocorreu na terça-feira (26), quando o desembargador Luiz Cláudio Bonassini negou afastamento dos vereadores Carlão (PSB) e Edson Shimabukuro (PTB).

A defesa de Baird impetrou habeas corpus alegando constrangimento ilegal por parte do Promotor de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado – GAECO, Marcos Alex, alegando que há ilegalidade no processo.

A defesa alega que o promotor comete ilegalidade ao apurar ilícito penal de Baird sem que lhe seja oportunizado contrapor-se aos argumentos e documentos existentes nos autos do procedimento investigatório, visto que foi indeferido pedido de juntada de documentos.

Diante da negativa do promotor, a defesa pediu a liminar para determinar a juntada da petição e dos documentos que a acompanham ou, alternativamente, que se determine a paralisação das investigações em face do paciente até que seja decidido o presente habeas corpus. O pedido foi acatado por unanimidade.

Baird é um dos suspeitos de participar de um esquema para cassar o mandato de Alcides Bernal (PP). O Gaeco já terminou a investigação e enviou para a Procuradoria-Geral do Ministério Público, que ainda não decidiu se acata o relatório, faz nova diligência ou arquiva o processo. 

Jornal Midiamax