Política / Transparência

Deputados prometem analisar papel de João Amorim no fiasco do Aquário

Proteco Construções Ltda. não venceu licitação, mas toca a obra

Jessica Benitez Publicado em 13/07/2015, às 18h05

None
aquario_dg_0.jpg

Proteco Construções Ltda. não venceu licitação, mas toca a obra

A comissão formada por deputados estaduais para fiscalizar obra do Aquário do Pantanal vai colocar em pauta o fato de a Proteco Construções Ltda., empresa do empreiteiro João Amorim, estar à frente da referida construção. O empreiteiro é um dos investigados na Operação Lama Asfáltica, justamente por ‘abocanhar’ inúmeros contratos tanto com a Prefeitura de Campo Grande, quanto com o governo do Estado, principalmente durante as gestões peemedebistas. Inicialmente o orçamento era de R$ 80 milhões, mas hoje as cifras já ultrapassaram os R$ 200 milhões. 

A Egelte Engenharia empresa que venceu a licitação em 2011 com um preço de R$ 84,7 milhões, teria deixado o trabalho no fim de 2014. Vale ressaltar que não há data certa para a inauguração do ponto, apenas está prevista para o ano que vem por estar inclusa no Programa Obra Zero do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Segundo o deputado Amarildo Cruz (PT) certamente o assunto será colocado em pauta, mas como o irmão do presidente da comissão, Lídio Lopes (PEN), morreu na semana passada, os parlamentares não se reuniram após estouro da operação na última quinta-feira (9).

“Com certeza vou colocar essa questão, não só eu como todos os outros deputados”, garantiu o petista referindo-se à participação da Proteco Construções Ltda. na obra do Aquário. Amanhã a comissão visita a Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul) às 13h30 e, em seguida, faz reunião entre eles para atualizar a pauta.

Na quarta-feira (15) os deputados conversam com proprietário da empresa que cuidava dos peixes, Anambi, para sanar dúvidas sobre como os animais foram reservados todos esses meses. O governo não renovou contrato com a companhia e agora o Imasul (Instituto de Maio Ambiente de Mato Grosso do Sul) é o responsável pelas espécies. A redação entrou em contato com o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcelo Miglioli, para saber posicionamento da pasta em relação à Proteco  Proteco Construções Ltda, mas até o fechamento da matéria ele não respondeu às ligações.

Jornal Midiamax