Política / Pimenta

Colegas descobrem mais ligações com mercado dos jogos de azar em Campo Grande ao cumprir ordens

Em setor onde não existem inocentes, laços de amizade e suposta sociedade continuam assombrando instituição rachada

Da Redação Publicado em 29/11/2021, às 08h39

Ações nas ruas acabaram expondo ligações e interesses escusos com modalidades de jogos de azar em Campo Grande
Ações nas ruas acabaram expondo ligações e interesses escusos com modalidades de jogos de azar em Campo Grande - (Ilustração sobre reprodução, Web)

Discurso bonito é de que teria sido decretada tolerância zero contra os jogos de azar ilegais em Campo Grande. No entanto, colegas de instituição que segue rachada em MS descobriram o papo-furado. Ações nas ruas acabaram expondo laços e até suposta sociedade de grande interessado com modalidades e nichos da contravenção.

Como não são idiotas, envolvidos na pirotecnia logo estranharam a seletividade das ações. E assim, um a um, os indícios das ligações escusas foram sendo reunidos e elevam a gravidade da situação.

Já haveria verdadeiro calhamaço de informações apontando para prática de ilícitos como corrupção, advocacia administrativa, prevaricação, agiotagem, exploração sexual, descaminho e até tráfico de drogas...

Problema com jogos de azar em Campo Grande preocupa outras 'praças' 

Quem acompanha de perto garante que já chegou até em Dourados a preocupação sobre exposição que atividade está ganhando graças aos exageros. Recentemente, até entrega de frota adquirida há alguns meses teria virado um problema. Segundo dizem, motocicletas precisaram ser compradas em praça diferente e transportadas com discrição para evitar problemas.

Como o mercado dos jogos de azar em Campo Grande tem inúmeros nichos de atuação, ações que tentavam ser midiáticas acabaram servindo apenas para revelar seletividade das investidas contra apenas 'metade dos contraventores'. Assim, sustentação e apoio institucional estão cada vez menores à empreitada de sujeito cujos interesses, avaliam colegas, não são menos ilícitos do que o alvo.

Sabendo de algo que MS precisa saber? Conta pro Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do Jornal Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax