Política / Justiça

Desembargador do TJ derruba liminar e mantém segredo nos processos da Uragano

Um dia após a juíza Dileta Terezinha, de Dourados, derrubar o sigilo dos processos da Uragano, aquela operação da Polícia Federal que pôs 28 pessoas na cadeia por corrupção, entre elas o prefeito da cidade, Ari Artuzi, o desembargador Carlos Eduardo Contar, suspendeu a liminar da magistrada. Isto é, a questão, que envolve 60 pessoas […]

Arquivo Publicado em 24/09/2010, às 20h49

None

Um dia após a juíza Dileta Terezinha, de Dourados, derrubar o sigilo dos processos da Uragano, aquela operação da Polícia Federal que pôs 28 pessoas na cadeia por corrupção, entre elas o prefeito da cidade, Ari Artuzi, o desembargador Carlos Eduardo Contar, suspendeu a liminar da magistrada. Isto é, a questão, que envolve 60 pessoas suspeitas de participar do esquema, será tratada em segredo de Justiça.

Para justificar o fim do sigilo, solicitado pelo MPE (Ministério Público Estadual), a magistrada disse que “a medida não mais atende aos pilares justificadores do interesse social e da conveniência da investigação que nortearam a decisão anterior, mesmo porque não se trata mais de investigação, mas sim de instrução criminal na ação penal”.

Sessenta pessoas – 54 já soltas – foram denunciadas por suposta participação num esquema que fraudava licitações públicas, em Dourados. A trama, que seria liderada por Artuzi, rendia ao grupo algo em torno de meio milhão de reais por mês.

As ações penais, por determinação da juíza, foram divididas em 13 processos para facilitar a apuração.

Com a decisão que mantém em segredo o processo de Artuzi, por ele ainda que preso e afastado do cargo por força judicial, possuir decoro parlamentar, o restante dos implicados pediram ao desembargador um mesmo tratamento, isto é, que suas ações sejam tocadas em sigilo. A medida foi acatada hoje pelo magistrado e, a partir de agora, nada sobre o caso pode ser publicado pela imprensa.

Jornal Midiamax