Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Sem partido e sem planos

Da Redação Publicado em 02/08/2021, às 06h00

None

Designação

O conselheiro Waldir Neves Barbosa foi designado relator das contas anuais do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul referentes a 2021 — que devem ser julgadas pelo Tribunal de Contas do Estado no ano que vem, o último da gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB). Portaria nesse sentido foi publicada nesta sexta-feira (30) no Diário Oficial da Corte de Contas.

Herdeiro

Neves, que antes de chegar ao TCE-MS era deputado federal pelo PSDB de Reinaldo, vai herdar a missão de julgar as contas do Governo do Estado do colega Ronaldo Chadid, que relatou e recomendou aprovação, com ressalvas, das contas neste ano. Os dois também têm em comum o fato de figurarem como investigados na Operação Mineração de Ouro.

Relembrar é viver

Deflagrada em junho último, a Mineração de Ouro é uma espécie de “braço” da Lama Asfáltica, que apontou gravações implicando os dois conselheiros, além de Osmar Jeronymo. Apura-se desde acordos para “venda” de sentenças no TCE-MS à contratação de funcionários “fantasmas”, peculato, enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro.

Fazendo contas

Em relação ao Poder Executivo, o TCE-MS emite pareceres aprovando ou não as contas do gestor, apontando recomendações e sugerindo condutas. A aprovação ou reprovação são feitas no Poder Legislativo — no caso, a Assembleia Legislativa. O relatório de Chadid, referente às contas de Reinaldo em 2020, recomendou aprovação, mas fez algumas ressalvas.

Destinação

Reinaldo teria investido apenas 0,5% do orçamento estadual em pesquisa, por meio da Fundect. Além disso, orientou-se que recursos do Fundo de Saúde sejam gastos apenas nessa atividade fim — o Jornal Midiamax mostrou, por exemplo, que verbas para o combate à Covid-19 custearam despesas com publicidade e propaganda, entre outras.

Alex que não é mais do PT 

Vereador por três mandatos e meio, Alex do PT, como sempre foi conhecido, não está mais no partido que levava no nome desde 2017. Segundo ele, apenas por cansaço após 30 anos filiado.

Sem partido 

Desde então, segue sem filiação partidária — e assim deve ficar, diz. O ex-parlamentar está na gestão do prefeito Marquinhos Trad, no projeto de regularização fundiária. 

Sem planos

Apesar de ter se filiado no DEM recentemente, o secretário de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, afirma que não pensa, por enquanto, em disputar eleição no próximo ano. 

A pedido 

Ele comenta que entrou no partido a convite da ministra Tereza Cristina e do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, e a pedido do prefeito de Campo Grande.

Jornal Midiamax