Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Bolsonaro em MS

Da Redação Publicado em 14/05/2021, às 06h30

None

Segurança

O GSI (Gabinete de Segurança Institucional) está desde quinta-feira (13) reforçando a segurança no local da solenidade que o presidente Jair Bolsonaro participa nesta sexta-feira (13). A passagem só era liberada para servidores federais ontem.

Abraço estampado

O deputado estadual João Henrique (PL) mandou espalhar outdoors de boas-vindas a Jair Bolsonaro (sem partido). O presidente entrega títulos da reforma agrária em Terenos nesta sexta-feira (14). “MS te abraça”, diz a publicidade encomendada pelo deputado, que ainda leva um carimbo de “pago com recursos próprios”.

Estratégia

A localização das placas é estratégica: instaladas em Terenos e na Avenida Duque de Caxias - onde ficam o aeroporto e a Base Aérea, prováveis locais de pouso da comitiva presidencial em Campo Grande. João Henrique garantiu uma vaga no evento organizado pelo Palácio do Planalto em Terenos, ao contrário da visita de Bolsonaro a Corumbá no ano passado. Na ocasião, o parlamentar foi “barrado” da inauguração de uma estação de radar pelo presidente.

Puxão de orelha

Despacho do juiz federal Bruno Cezar da Cunha Teixeira deu puxão de orelha na defesa de um dos réus em ação decorrente da Operação Lama Asfáltica, que corre na 3ª Vara Federal de Campo Grande.

Novo rol

O despacho apontou que a defesa do ex-governador André Puccinelli (MDB) apresentou novo rol de testemunhas, o quarto desde que a referida ação penal foi desmembrada devido a complexidade dos fatos.

4 é demais

O juiz pontuou que a oportunidade de alterar o rol de testemunhas seria para indicar quais, dentre as já arroladas, iriam depor no contexto específico da ação desmembrada da principal.

Pertinente?

“Assim, esclarece-se que não se deve compreender como uma oportunidade para arrolar novas testemunhas, senão em substituição a testemunhas integrantes de rol anteriormente apresentado, nos casos em que legalmente pertinente”, detalhou o magistrado.

Indeferido

O juiz indeferiu o pedido de apresentar novo rol de testemunhas, “a fim de evitar tumulto processual”. Mas, deu prazo de 48 horas caso a defesa queria realizar substituições deferidas em despachos anteriores, “de modo a não prejudicar ainda mais o já complexo trabalho de agendamento e intimação que vem sendo realizado pela Secretaria do Juízo”.

Reincidente

Não é a primeira vez que o magistrado comenta em suas peças incômodo com alguns atos de defesas de réus em ações da Lama Asfáltica. Antes de proferir uma das primeiras sentenças, o juiz destacou que avalanche de recursos provocou frustração social por arrastarem o processo até a publicação da sentença.

Jornal Midiamax