Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Conexão Acre – Campo Grande

Viagem Em 2020, um senador da República passou 27 dias em Campo Grande e gastou R$ 7,7 mil da cota parlamentar em passagens aéreas. Longe Números da Transparência do Legislativo que passariam despercebidos, não fosse o parlamentar eleito pelo estado do Acre – a um dia e meio de distância de Mato Grosso do Sul. […]

Da Redação Publicado em 09/02/2021, às 06h00

None

Viagem

Em 2020, um senador da República passou 27 dias em Campo Grande e gastou R$ 7,7 mil da cota parlamentar em passagens aéreas.

Longe

Números da Transparência do Legislativo que passariam despercebidos, não fosse o parlamentar eleito pelo estado do Acre – a um dia e meio de distância de Mato Grosso do Sul.

7 vezes

Marcio Bittar (MDB-AC) esteve em Campo Grande no ano passado em pelo menos sete oportunidades. As visitas duravam um dia, dois, ou até uma semana.

Encontros

Entre idas e vindas, se reuniu com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e conselheiros do TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado).

Laços

O fato é que o parlamentar tem laços familiares na capital sul-mato-grossense, onde foi militante do PCB (Partido Comunista Brasileiro) e presidiu a UCE (União Campo-grandense de Estudantes), nos anos 1980.

Projeção

Mas foi pelo Acre que Márcio Bittar se projetou na política, eleito deputado estadual em 1994. Ele está em seu primeiro mandato no Senado Federal.

Incomodou

As constantes viagens de Bittar a Mato Grosso do Sul causaram certo incômodo no estado que representa. Relator do projeto de orçamento federal para 2021, Bittar é alinhado com o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).
Jornal Midiamax