Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Novo momento, novo púlpito

Ficou para trás A tensão das Eleições 2018 são águas passadas para Odilon de Oliveira. O ex-candidato a governador avalia com tranquilidade a postura do PDT naquele ano –que, segundo ele, “com certa razão” não lhe daria suporte no segundo turno depois de ele declarar abertamente apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro. Lógica partidária Leia também: […]

Da Redação Publicado em 02/09/2020, às 06h00

None

Ficou para trás

A tensão das Eleições 2018 são águas passadas para Odilon de Oliveira. O ex-candidato a governador avalia com tranquilidade a postura do PDT naquele ano –que, segundo ele, “com certa razão” não lhe daria suporte no segundo turno depois de ele declarar abertamente apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro.

Lógica partidária

Bolsonaro enfrentou o petista Fernando Haddad, “inimigo natural” da direita em 2018 e para quem o PDT, no qual Odilon disputou a eleição, rendeu apoio no segundo turno.

Não se opôs

“Na época o PDT não se opôs [ao apoio a Bolsonaro], mas logicamente não me daria apoio comigo apoiando o candidato de ideologia diferente da do partido”, sintetizou.

Ético

Quase dois anos depois da eleição de Jair Bolsonaro, Odilon afirma que o Governo Federal vem atendendo a suas expectativas, “principalmente na parte ética” dentro da administração.

Sem escândalos

Segundo ele, não há escândalos na área de probidade administrativa –como denúncias ou megaoperações. “Isso é um grande ganho, por isso estou satisfeito”.

No púlpito

Odilon afirma que as dificuldades que preocupam o Governo Bolsonaro são mais externas, decorrentes da economia e da pandemia.

Postura

Sobre denúncias que vão desde o “Caso Queiroz” aos filhos do presidente, o juiz aposentado considera que não mancham a gestão federal. “Tem de considerar a postura como presidente desde que tomou posse”, afirma.

Jornal Midiamax