Política / Bastidores

[ BASTIDORES] Permanência de ex-secretário no comando de partido é incerta

Empresário que denunciou esquema diz ter mais provas

Aliny Mary Dias Publicado em 30/05/2017, às 08h00 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h38

None

Empresário que denunciou esquema diz ter mais provas

Honroso

Para o senador Pedro Chaves (PSC) seria mais ‘honroso’ para o presidente Michel Temer (PMDB) deixar o cargo por decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). “Sairia com menos desgaste”, defendeu o parlamentar.

Impopular

Na avaliação de Chaves, apesar de ter maioria no Senado, o que impossibilitaria a tramitação de um eventual pedido de impeachment, a baixa popularidade e as muitas denúncias dificultam a continuidade do governo Temer.

Discretos

Parlamentares sul-mato-grossenses têm mantido uma certa ‘discrição’ ao comentar as recentes denúncias contra governadores. Até mesmo figuras que costumeiramente disparam declarações evitam exposição.

Problema da OAB     

Durante entrevista coletiva à imprensa na tarde desta segunda-feira (28), o secretário de governo Eduardo Riedel se irritou ao ser questionado sobre os pedidos de impeachment do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). A informação de que a OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) pudesse entrar com novo pedido contra Reinaldo fez o secretário disparar: “Impeachment é problema da OAB”.

PSDB

Fora do primeiro escalão do Governo do Estado desde março, o ex-secretário da Casa Civil, Sérgio de Paula, está no comando regional do PSDB. A permanência dele no cargo depois de denúncias de empresários que atribuíram a ele o papel de “cobrador de propinas” parece incerta. No governo tucano, a máxima é que de Paula é agora um assunto do PSDB.

Enrolado

Para o deputado federal Geraldo Resende (PSDB), um dos empresários que denunciou esquema de propina para manutenção de isenção fiscal pode ser classificado com “muito enrolado”. O parlamentar disse conhecer o empresário pelos negócios que ele mantém em Dourados.

Muitas provas

Empresário dono de curtume que denunciou suposto esquema de propina para manutenção de benefícios fiscais concedidos pelo Estado afirma que tem muito mais do que apenas um vídeo para provar o que disse em reportagem que foi veiculada pelo programa Fantástico. Nos resta aguardar.

Pilantras, sonegadores, fraudadores…

O governador Reinaldo Azambuja engrossou o discurso contra empresários que o denunciaram mais uma vez neste domingo, em reportagem que foi ao ar no programa Fantástico, da Rede Globo. Em Itaporã, durante evento de entrega de casas, Reinaldo não economizou nos adjetivos para desqualificar os empresários. Pilantras, sonegadores e fraudadores foram alguns deles.

Só despesa

Criada neste ano, a Controladoria-Geral do Estado só tinha como foco de trabalho até este mês os gastos do Executivo. A delação feita à PGR (Procuradoria-Geral da República) pelos empresários da JBS e a denúncia de empresários de curtume e frigorífico do Estado fizeram com que o foco das ações da Controladoria tivessem de se volta também para a receita do Estado.

Várias demandas

Assessor especial do governador, Zelito Alves Ribeiro foi denunciado pelos empresários do Estado por recebê-los para tratar de suposto esquema de propina. Para o secretário de Governo, Riedel, o papel do assessor pode causar “saia justa” por ele ser responsável por encaminhar demandas de empresários para o governador. 

Jornal Midiamax