Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Moções de congratulação domina sessões da Câmara

.

Aliny Mary Dias Publicado em 18/08/2017, às 08h00

None

.

Moção

A hora da moção de congratulação na Câmara Municipal vem sendo bastante movimentada nesta legislatura. Em todas as sessões há pessoas de todos as áreas na Casa de Leis para receber a homenagem pessoalmente. Os vereadores que fazem a homenagem, claro, saem do parlamento para a tradicional foto.

Mais

Durante sessão ordinária dessa quinta-feira (17) sobrou moção de congratulação até para o vereador Eduardo Romero (Rede). Otávio Trad (PTB) sugeriu homenagem ao colega por sua luta em prol do meio ambiente e, por fim, a moção acabou sendo assinada pela Casa.

Compromisso

Embora não estivesse na agenda oficial do prefeito Marquinhos Trad (PSD), ele fez questão de ir ao evento de assinatura de ordem de serviço para revitalização de vias no Indubrasil. Ao todo serão investidos R$ 6,6 milhões oriundos do governo do Estado.

Lama

Com a chuva dos últimos dias, a região que será revitalizada no Indubrasil foi tomada por lama. Todos que passaram por lá saíram com os sapatos sujos de barro. O Estado promete entregar a obra em 180 dias e sanar, entre outras coisas, esse problema.

Birra

Parece birra implicância com todas as ações de subalterno em órgão de fiscalização. Toda decisão do mesmo é sempre equivocada, falha ou atrasada. Por trás, interesses em promover colegas podem regar o discurso.

Jeitinho

Baseados em normativa recente, alguns alegam confusão ao enterrar denúncias graves, mas olho clínico não está deixando passar e nem aliviar para ninguém.

Nomes

O líder da bancada peemedebista na Assembleia, deputado Eduardo Rocha, citou políticos históricos, como Eduardo Suplicy, Mario Covas, Ulysses Guimarães e Tancredo Neves, que fizeram parte do MDB, nome pelo qual o PMDB deve voltar a ser chamado.

Dissociado

A mudança de nome, alega Rocha, não visa dissociar o partido das recentes acusações de corrupção envolvendo peemedebistas, como próprio presidente Michel Temer. Para o deputado, a população sabe diferenciar pessoas e partidos.

Guerra

Nem chegou na Assembleia Legislativa e o projeto Escola Sem Partido já tem ‘guerra’ declarada entre defensores e críticos. Este prevê seis deveres aos professores em sala de aula, tais como não cooptar alunos para correntes partidárias e constrange-los por suas crenças.

Efeito Bolsonaro

Coronel Davi (PSC) tem defendido “projeto de decência e honestidade” do presidenciável e deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Ele inclusive declarou que seu candidato irá prender corruptos no país. Pedro Kemp (PT), por sua vez, ironizou: “é candidato a presidente ou juiz”?

Jornal Midiamax