Os ex-governadores Reinaldo Azambuja () e André Puccinelli (MDB) participam nesta segunda-feira (15) de reunião com a cúpula do MDB e PSDB no Estado, em almoço promovido pela ministra em Campo Grande. O governador tucano Eduardo Riedel também foi convidado para o encontro.

A ideia, segundo o presidente estadual do MDB, deputado estadual Junior Mochi, é estreitar relações com o PSDB. “É um almoço feito a convite do secretário para todos sentarem e conversarem”, esclareceu. Mochi é um dos convidados.

O deputado admite que há aproximação do MDB com o PSDB desde que Eduardo Rocha assumiu a secretaria de Governo e Gestão Estratégica na gestão de Reinaldo Azambuja. Atualmente, o marido da ex-senadora Simone Tebet está na Secretaria da Casa Civil.

Liderança do MDB

Um dos assuntos a serem discutidos na reunião é a sucessão de Mochi frente ao partido no Estado. Na última semana, foi cogitado o nome do ex-senador Waldemir Moka para assumir a sigla. O fato teria gerado desconforto do deputado Márcio Fernandes, que há tempos tenta estreitar as relações com o PSDB.

O parlamentar chegou a defender que o MDB se aproxime do PSDB ao invés de ter uma chapa própria nas eleições de 2024 em Campo Grande, ideia contrária do que defendeu a cúpula do MDB durante reunião do partido em abril.

Na ocasião, Puccinelli disse que não tem o desejo de ele mesmo ser o candidato, mas que seguirá a vontade do partido. “Sempre fui partidário. Se o partido me escalar, eu me candidato. Pretensão eu não tenho, mas como partidário eu cumpro as missões que um partido determina”, explicou Puccinelli na ocasião.

Puccinelli é cogitado pelo alto escalão do partido. De acordo com o presidente do MDB em Mato Grosso do Sul, deputado estadual Junior Mochi, o ex-governador, ao lado do vereador Dr. Jamal, são fortes nomes do partido para o executivo da Capital, apesar de ainda não terem definições sobre o tema.

Nesta segunda-feira (15) Mochi comentou apenas que a ideia do almoço é ‘procurar interação' entre os partidos.