O governador Eduardo Riedel (PSDB) declarou que os R$ 400 milhões em licitações para a Rota Bioceânica mostram o comprometimento do presidente Lula com Mato Grosso do Sul, durante evento do lançamento do Novo PAC em Campo Grande nesta quinta-feira (21).

“O desafio de infraestrutura é a logística. A vinda dos ministros mostra o comprometimento do Governo Federal com o Estado. Semana passada foi publicada uma das obras de acesso à Rota Bioceânica. São mais de R$ 400 milhões em investimentos e ainda neste ano vamos ter a assinatura desse contrato”, comemorou.

Novo PAC (Alicce Rodrigues, Midiamax)

O ministro Márcio França, do Empreendedorismo, Micro Empreendimento e Pequenos Portos, anunciou previsão de investimentos no Estado. “É um ministério novo, mas Mato Grosso do Sul tem muita gente empreendendo. Lula quer linha de financiamento de ajuda para o pequeno comércio e autônomos. Hoje é uma multidão fora do mercado. O mundo agro chama atenção, mas acaba derivando o acesso de pessoas que quer empreender na cidade. E é preciso que o BNDS crie financiamento com valores menores e com mais acesso às pessoas”, disse.

Simone Tebet e Eduardo Riedel no Novo PAC (Alicce Rodrigues, Midiamax)

Ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet destacou que o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil deve crescer três vezes mais que o previsto. “Para que o Brasil cresça, é preciso investimento privado. Hoje temos um PIB que vai chegar em 2023 três vezes maior que a previsão inicial do mercado. Acredito que o que vai puxar no ano que vem, um ano que nos preocupa sob a ótica global, vão ser os orçamentos públicos através do PAC”.

Também estiveram no evento os deputados do PT, Pedro Kemp e o ex-governador Zeca, e Reinaldo Azambuja, o deputado federal Geraldo Resende e secretários de Estado, além da prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes, e de prefeitos do interior do Estado.

Novo PAC

Lançado em 11 de agosto, o Novo PAC lista 255 estudos, concessões e conclusões de obras paradas para Mato Grosso do Sul. São R$ 44,7 bilhões de investimentos, entre recursos do Governo Lula e financiamentos de bancos públicos para concessões e PPPs (parcerias público-privadas), além de investimentos de estatais, sobretudo da Petrobras.

A conclusão da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III), em Três Lagoas, foi listada como um investimento nacional, que deve ser concluído pela Petrobras.

Outras obras, como a construção do contorno de Três Lagoas, adequação da BR-267 e alça de acesso à ponte do Rio Paraguai, conclusão do Aeroporto de Dourados e moradias do Minha Casa, Minha Vida estão listadas.