Na véspera do encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador Eduardo Riedel (PSDB) disse que “não podemos aceitar nenhum tipo de violência”. Além disso, criticou a “depredação, seja do público ou privado”. Riedel e outros governadores irão se reunir com Lula em Brasília nesta segunda-feira (9), para tratar sobre os atos de depredação do domingo (8).

Assim, o governador de MS afirmou que “temos caminhado no sentido de buscar a união, trabalhar juntos pela população, pelo que as pessoas querem”. Por fim, disse que essa é a “a ordem que a gente tem que fazer pelas pessoas, pacificação”.

Riedel aparece em vídeo do PSDB com outros dois governadores eleitos pela legenda, Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) e Raquel Lyra (Pernambuco). Então, acompanhados do presidente do partido, Bruno Araújo, os governantes reprovaram as ações de depredação nos Três Poderes.

“O PSDB nunca faltou e não faltará em momentos importantes para o Brasil. A unidade política do partido se reforça agora em defesa da democracia, com a ida dos três governadores tucanos juntos a Brasília”, afirmou.

Assim, disse que Riedel e os outros governadores irão “tratar sobre medidas que possam estancar de vez os graves ataques institucionais como os cometidos ontem (8/01) na capital do país”.

Riedel avalia invasão como “inaceitável”

Anteriormente, Riedel avaliou como “inaceitável” a manifestação realizada neste domingo (8) em Brasília (DF), que culminou na invasão do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal).

As forças de segurança retomaram a Praça dos Três Poderes ainda no mesmo dia.

“É inaceitável na nossa democracia o uso da violência, o vandalismo e a depredação de patrimônio público e privado em quaisquer tipos de manifestações. Não podemos aceitar a afronta à democracia e ao Estado democrático de direito”, publicou Riedel nas redes sociais.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), decretou intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal.