Em reunião com a prefeita Adriane Lipes (PP) na última segunda-feira (23), o coordenador da bancada federal por Mato Grosso do Sul, Vander Loubet (PT), discutiu prioridade para bairros carentes em Campo Grande com o Novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Segundo ele, quase todos os bairros da Capital foram debatidos, mas o foco das ações será no Los Angeles, Tijuca, Itamaracá, Aero Rancho, entre outros.

“Além disso, tratamos dos casos das favelas e da grande obra na avenida Ernesto Geisel. Saímos da reunião com o encaminhamento de que a prefeita Adriane vai se reunir com a sua equipe técnica para estudar as demandas dos vereadores e devolver um parecer para nós”, destacou.

No dia 24 de outubro, o Presidente da Câmara, Carlos Augusto Borges (PSB), adiantou que entre os projetos já protocolados para o PAC está a conclusão da Avenida Ernesto Geisel que custará R$ 154 milhões. O programa terá R$ 400 milhões para obras em Campo Grande.

Ainda conforme o presidente da Câmara, a prefeita vai protocolar vários projetos e, em seguida, vai se reunir com os vereadores para saber quais são os mais importantes.

“A prefeita também quer melhorias nos terminais. A partir do mês que vem já deve começar a chegar os recursos. Depois tem a licitação e as obras devem começar a partir de abril ou maio na Ernesto Geisel. Serão protocolados muitos projetos, mas só será aprovado até o valor de R$ 400 milhões”, explicou Carlão.

Conforme a lista divulgada no dia 11 de agosto, pelo Governo Federal, em lançamento que aconteceu no Rio de Janeiro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Eduardo Riedel (PSDB), o Novo PAC terá 14 obras a serem realizadas e concluídas em Campo Grande. Entre elas, construção de casas do Minha Casa, Minha Vida, drenagem do Complexo Anhanduí e finalização da radioterapia do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul). Serão construídas 53 unidades habitacionais pelo Minha Casa, Minha Vida e retomadas as construções de 33 unidades.