Política

Sou contra, mas não tem outra solução, diz Valdir Gomes sobre ‘fecha tudo’ em Campo Grande

O vereador Valdir Gomes (PSD) disse ser contra as novas medidas restritivas baixadas pela prefeitura de Campo Grande, mas não vê outra alternativa a não ser apoiar a antecipação de feriados para conter a pandemia de Covid-19. “É o que o momento requer. Essa pandemia agora está pegando os mais jovens”, pontuou. Com bandeira cinza […]

Adriel Mattos Publicado em 18/03/2021, às 18h31 - Atualizado às 18h34

Foto: Denilson Secreta/PMCG
Foto: Denilson Secreta/PMCG - Foto: Denilson Secreta/PMCG

O vereador Valdir Gomes (PSD) disse ser contra as novas medidas restritivas baixadas pela prefeitura de Campo Grande, mas não vê outra alternativa a não ser apoiar a antecipação de feriados para conter a pandemia de Covid-19. “É o que o momento requer. Essa pandemia agora está pegando os mais jovens”, pontuou.

Com bandeira cinza no Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), a Capital, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) descartou o lockdown, mas decidiu antecipar feriados para forçar o funcionamento de serviços essenciais, como recomenda o programa estadual.

“Fico preocupado com o comércio. Para os funcionários, vai ser duro, como eles vão se manter? Mas não tem leito, estamos numa calamidade”, afirmou Gomes. Ele declarou ainda que vem recebendo dezenas de ligações todos os dias pedindo apoio para transferência hospitalar, mas não há o que fazer.

“Tem gente esperando na UPA [Unidade de Pronto Atendimento], mas não tem vaga. Uma semana [fechando tudo] vai ser ruim, mas não tem outra solução para a saúde. Tem gente perdendo vizinho, parente. São medidas necessárias”, apontou.

Entenda

O Governo do Estado atualizou nesta quinta-feira (18) o mapa do Prosseguir e Campo Grande é a única cidade com bandeira cinza. É a primeira vez no ano que a Capital entra na classificação mais rígida do programa.

A ocupação de leitos está acima do limite reconhecido pelo Ministério da Saúde. Com 107% das UTIs lotadas, Campo Grande tem mais leitos do que o oficial, o que faz com que o índice esteja acima dos 100%, segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Com isso, a prefeitura decidiu antecipar feriados. Sem lockdown, a expectativa é que haja diminuição do contágio nos dias em que apenas os serviços essenciais vão operar.

“Há um prazo para evitarmos esse colapso. Acontece que as pessoas que ocupam os leitos de UTI, muitos deles não vem da Covid, a gente evitando a circulação de pessoas e diminuindo os horários da noite, podemos cuidar de quem está com Covid”, disse o prefeito Marquinhos Trad (PSD).

Jornal Midiamax