Política

Rocha diz que deve assumir Casa Civil ou Secretaria de Governo de Reinaldo

Atualmente, cargos são ocupados por Sérgio de Paula e Flávio César, respectivamente

Renan Nucci Publicado em 09/11/2021, às 10h15

Deputado Eduardo Rocha durante sessão da Alems nesta terça-feira
Deputado Eduardo Rocha durante sessão da Alems nesta terça-feira - Reprodução

Durante sessão da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) na manhã desta terça-feira (9), o deputado estadual Eduardo Rocha (MDB) anunciou oficialmente sua saída da casa, para assumir uma vaga no Governo do Estado a convite do governador Reinaldo Azambuja, para desempenhar papel de articulação com as demais instituições.

Ele disse que deve ser empossado nas próximas semanas, até o final do mês, no comando da Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica) ou da Casa Civil. “Vou fazer parte do trabalho institucional com a Alems e os outros poderes”, disse o deputado, que afirmou ter sido convidado após anunciar publicamente que não disputaria as próximas eleições e informou o MDB sobre sua decisão.

“Saindo da reunião com o governador, estive com meu partido, falei com o presidente Junior Mochi, falei com o ex-governador André Puccinelli e ponderei sobre esse convite”, completou. O presidente da Alems, deputado Paulo Corrêa (PSBD), agradeceu pelos serviços prestados por Eduardo Rocha até aqui e desejou boa sorte com as novas atribuições.

“É muito importante para Alems, em um posto tão avançado como este, ter um soldado para nos representar. Com certeza podemos contar com a sua colaboração, com o seu respeito que sempre teve por todos, e também com certeza pode contar com a gente”, disse Corrêa. Os demais deputados presentes na sessão também prestaram homenagens ao colega.

Eleito em 2018, Eduardo Rocha recebeu 22.347 e foi o 14º deputado estadual mais votado de MS e será substituído pelo deputado Paulo Duarte, primeiro suplente do MDB.  Rocha é o 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, cargo da Mesa Diretora que ficará vago. Assim, o regimento interno  prevê que seja realizada uma nova eleição do cargo, dentro de cinco sessões ordinárias subsequentes à declaração.

Vagas ocupadas

Tanto a Segov quanto a Casa Civil, para onde Eduardo Rocha irá seguir, já estão ocupadas. Na Segov, Flávio César é titular interino desde julho deste ano. Na Casa Civil, Sérgio de Paula foi nomeado em maio. A equipe do Jornal Midiamax entrou em contato com ambos, para saber como vai ficar a definição dos cargos após anúncio de Rocha, mas até o fechamento desta edição ambos não se posicionaram.

Jornal Midiamax