Política

Reuniões do Fórum MS Certo ficam para o 2º semestre do ano devido à pandemia

As reuniões do Fórum MS Certo previstas para serem realizadas em 14 municípios de Mato Grosso do Sul, foram adiadas  para o segundo semestre deste ano, devido ao avanço da pandemia da Covid-19 no Estado.  Criado pela senadora de Mato Grosso do Sul, Soraya Thronicke (PSL), o Fórum debate as demandas prioritárias e políticas públicas […]

Renata Volpe Publicado em 24/03/2021, às 10h03

Senadora Soraya Thronicke (PSL) adia reuniões do Fórum MS Certo, (Divulgação)
Senadora Soraya Thronicke (PSL) adia reuniões do Fórum MS Certo, (Divulgação) - Senadora Soraya Thronicke (PSL) adia reuniões do Fórum MS Certo, (Divulgação)

As reuniões do Fórum MS Certo previstas para serem realizadas em 14 municípios de Mato Grosso do Sul, foram adiadas  para o segundo semestre deste ano, devido ao avanço da pandemia da Covid-19 no Estado. 

Criado pela senadora de Mato Grosso do Sul, Soraya Thronicke (PSL), o Fórum debate as demandas prioritárias e políticas públicas nas áreas de saúde, educação, desenvolvimento, habitação, segurança, mobilidade urbana, esporte, cultura e infraestrutura no Estado.

De acordo com Soraya, o Fórum vai percorrer todo o Estado para fazer um diagnóstico das necessidades regionais e apresentar soluções.

Ainda segundo a senadora, a proposta do MS Certo é debater demandas prioritárias e políticas públicas. “Vamos promover as reuniões em 14 municípios considerados polos e fazer um levantamento das principais demandas de cada região junto com prefeitos, vereadores, sindicatos, empresários e representantes da sociedade”.

O cronograma do Fórum inclui os municípios de Dourados e região, Ponta Porã, Naviraí, Ivinhema, Aquidauana, Miranda, Três Lagoas, Campo Grande, Paranaíba, Jardim, Corumbá, Porto Murtinho, Maracaju e São Gabriel do Oeste. 

Assim, o MS Certo conta com a Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento da Região Centro-Oeste), TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Fecomércio-MS (Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul), Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária do Estado) e BRB (Banco de Brasília).

Linhas de crédito

A participação da Sudeco vai permitir que os empresários e prefeitos tenham acesso direto às linhas de crédito, enquanto o Banco de Brasília já tem recursos disponíveis para projetos estruturantes nos municípios e iniciativa privada. 

O Fórum também vai estimular a formação da Frente Parceiros da Integração para contribuir com campanhas de cunho social e institucional em relação às potencialidades do Estado.

Com assessoria

Jornal Midiamax