Política

“População não pode ser cobaia de projetos eleitoreiros”, diz Soraya sobre volta da Caravana da Saúde

Senadora do PSL de Mato Grosso do Sul sugeriu que o governo estadual reveja a decisão de retomar o programa às vésperas do pleito de 2022

Jones Mário Publicado em 16/07/2021, às 18h54

Soraya Thronicke, senadora de Mato Grosso do Sul pelo PSL
Soraya Thronicke, senadora de Mato Grosso do Sul pelo PSL - Jefferson Rudy/Agência Senado

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) criticou o anúncio da retomada da chamada “Caravana da Saúde”. A parlamentar sugeriu “prudência” para que a decisão seja revista pelo governo estadual.

“É preocupante saber que, mesmo com tantas denúncias de erro médico envolvendo esse projeto, o governador Reinaldo Azambuja [PSDB] considere retomá-lo”, disse Soraya.

“A população não pode ser vítima e cobaia de projetos eleitoreiros como este, ainda mais se tratando da saúde que deveria ser a área de maior atenção, cuidado e responsabilidade”, continuou a senadora, que ainda lembrou de “pelo menos 12 processos envolvendo erros médicos dessa caravana”.

Reinaldo anunciou na manhã de hoje (16) o retorno da Caravana da Saúde, programa realizado em Mato Grosso do Sul para pacientes na fila de cirurgias eletivas na rede pública.

O Estado e a terceirizada 20/20 Serviços Médicos S/S respondem a pelo menos uma dezena de processos por erros médicos que minaram a qualidade de vida de pacientes do programa. Além disso, a retomada logo às vésperas das eleições de 2022 levantou suspeitas da oposição por suposta ação orquestrada para alavancar candidaturas tucanas.

Somente em 2019 foram usados R$ 5,5 milhões para o projeto. Em 2020, foram anunciados R$ 7 milhões, todos de recursos já destinados à Saúde. O programa criado em 2015 não teve pausa nem durante a campanha eleitoral de 2018, quando Reinaldo Azambuja conseguiu se reeleger.

Jornal Midiamax