Política

Podemos diz que Moro é 3ª via e mantém apoio a Rose Modesto mesmo no União Brasil

Presidente do Podemos em MS, Sérgio Murilo participou de encontro com Sérgio Moro, em Brasília

Renata Volpe Publicado em 26/11/2021, às 12h59

Presidente do Podemos em MS, Sérgio Murilo
Presidente do Podemos em MS, Sérgio Murilo - Marcos Ermínio, Jornal Midiamax

Reunião do Podemos em Brasília, na última quinta-feira (25), consolida o nome do ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro como 3ª via na disputa pela Presidência da República. Além disso, o partido deve manter apoio a possível candidatura da deputada federal Rose Modesto (PSDB) ao Governo de Mato Grosso do Sul, mesmo ela se filiando ao União Brasil. 

O presidente regional do Podemos, Sérgio Murilo, afirmou ao Jornal Midiamax que a reunião em Brasília foi com os 23 presidentes estaduais brasileiros e Sérgio Moro. Na oportunidade, aconteceu a filiação do ex-secretário nacional da Casa Civil, general Carlos Alberto Santos Cruz. “O general foi secretário no mesmo período em que Moro foi ministro e ele se filiou ao Podemos. Aproveitou para conhecer os presidentes regionais e saber a demanda de cada Estado”.

Ainda segundo Murilo, Sérgio Moro tem 12% nas intenções de voto, conforme pesquisas e, com isso, se consolida como 3ª via, além do ex-presidente Lula (PT) e de Jair Bolsonaro (sem partido).

Sobre alianças, há grande inclinação com o União Brasil, partido que vai ser criado com a fusão entre DEM e PSL. “O União é parceiro de primeira hora, a tendência da executiva nacional é propor juntamento com o União”.

Sendo assim, o nome da deputada federal Rose Modesto já foi citado como pré-candidata ao governo do Estado pelo União. “Desde 2019, eu falo que queremos a Rose no Podemos para ela disputar ao governo, mas se isso não acontecer, se ela for para o União, vamos apoiá-la”.

O presidente disse que o Podemos não precisa de protagonismo e, com isso, prevê uma aliança com o União Brasil também em Mato Grosso do Sul. “Rose pode ir para o União, isso está ficando cada vez mais forte. Ficamos tristes, mas se ela tiver projeto não precisamos de protagonismo”.

Coragem

Ainda segundo o presidente, a deputada precisa criar coragem para a disputa em 2022. “Ela precisa criar coragem, não é fácil ser governador, não temos máquina nos ajudando. Mas o tempo está se esgotando e até dezembro acho que tudo vai estar definido”.

Jornal Midiamax