Política

‘Pessoas pequenas’, diz Soraya Thronicke sobre Otávio Fakhoury após homofobia contra senador do ES

Senador disse que irá investigar crime de homofobia na publicação do empresário

Dândara Genelhú Publicado em 30/09/2021, às 14h25

Senadores demonstraram solidariedade ao parlamentar.
Senadores demonstraram solidariedade ao parlamentar. - Foto: Reprodução.

Nesta quinta-feira (30), a senadora sul-mato-grossense Soraya Thronicke (PSL) considerou que o empresário Otávio Fakhoury faz parte do grupo de “pessoas pequenas”. Ouvido pela CPI, o empresário teve uma publicação exposta, que ofende o senador do Espírito Santo, Fabiano Contarato (Rede Sustentabilidade). O próprio parlamentar comentou o post e apontou a situação de homofobia que viveu.

“Pessoas brilhantes falam sobre ideias, pessoas medíocres falam sobre coisas, e PESSOAS PEQUENAS falam sobre outras pessoas (Dick Corrigan)”, publicou a senadora de MS. Soraya disse ainda que “se quer aparecer, faça algo que possa ser admirado. Quem nada constrói, gasta tempo destruindo”.

Por fim, afirmou solidariedade ao colega de CPI. A situação foi comentada por Contarato nesta quinta-feira (30) durante sessão da Comissão.

O senador destacou que o post utilizado para fazer a publicação continha um erro de grafia. No entanto, disse que ficou admirado por ver alguém de maioridade se propor ao papel homofóbico. “O senhor é casado, tem filhos, a sua família não é melhor que a minha”. 

Ele lembrou ainda que o STF (Supremo Tribunal Federal), tardiamente, criminalizou a homofobia, equiparando com racismo. “O mesmo Supremo que o senhor defende para extinguir”, apontou ele.

Em relato humanizado, ele disse que foi difícil expor a vida pessoal, família e filhos para falar sobre a publicação. “Mas é necessário, para que outros não sofram o mesmo. Porque se o senhor faz isso comigo, sendo um senador da república, imagine em um Brasil que mais mata LGBTQIA+”, afirmou.

“Então o mínimo que o senhor deveria fazer é pedir desculpa não só a mim, mas sim a toda a população LGBTQIA+”, ressaltou. Por fim, o senador pediu que os prints fossem encaminhados para as autoridades policiais. Assim, disse que irá apurar a responsabilidade por crime de homofobia.

Jornal Midiamax