Política

Mandetta diz que gabinete não sabia sobre discurso de Bolsonaro em que chamou Covid-19 de ‘gripezinha’

Em resposta a Simone Tebet, ex-ministro disse que foi pego de surpresa

Adriel Mattos Publicado em 04/05/2021, às 17h50

None
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Durante oitiva na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia, no Senado Federal, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) voltou a criticar o presidente da República, Jair Bolsonaro, que insistiu em ignorar recomendações sanitárias. A declaração nesta terça-feira (4) foi resposta a uma pergunta da senadora Simone Tebet (MDB-MS).

“Recomendávamos que se ficasse em casa, que evitasse contato sob suspeita, era o que me restava. Tínhamos que conversar com as pessoas enquanto se fazia o contrário”, afirmou.

Em uma espécie de pingue-pongue com Simone, o ex-ministro foi sucinto ao responder que esse negacionismo levou à situação crítica da pandemia hoje, que já contabiliza mais de 400 mil mortes. “Foi apenas o ápice de decisões tóxicas e equivocadas”, frisou.

Questionado sobre o polêmico discurso de Bolsonaro em que se referiu à Covid-19 como “gripezinha”, Mandetta disse que ele e os demais ministros não foram informados. “Quando ele fez aquela famosa fala à Nação, fomos pegos de surpresa. Teve uma reunião de ministros no dia seguinte, não fomos informados”, relatou.

A oitiva foi encerrada há pouco, após mais de 11 horas. Na quarta-feira, a CPI ouvirá o sucessor de Mandetta, o oncologista Nelson Teich.

Jornal Midiamax