Política

Infraestrutura determina estudo ambiental para liberar ferrovia que liga o Paraná a MS

Ferroeste deve destinar R$ 2,85 bilhões à construção de 76 quilômetros de ferrovia em Mato Grosso do Sul

Renan Nucci Publicado em 16/11/2021, às 07h22

None
Foto Ilustrativa

A Seil (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística) do Governo do Estado do Paraná determinou  estudo de impacto ambiental, para que possa ser liberada a construção da ferrovia que conecta aquele estado ao Mato Grosso do Sul, na linha conhecida como Corredor Oeste de Exportação. O aviso de licença ambiental foi publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (16).

Conforme já noticiado pelo Midiamax, a Ferroeste deve destinar R$ 2,85 bilhões à construção de 76 quilômetros de ferrovia em Mato Grosso do Sul, conectando o município de Maracaju, a 160 quilômetros de Campo Grande, a Dourados. A partir de Maracaju, será possível chegar à cidade portuária de Paranaguá, no Paraná, aumentando a competitividade das commodities produzidas em território sul-mato-grossense.

O investimento será realizado no âmbito do Pro Trilhos, programa de autorizações ferroviárias do Governo Federal, conforme medida provisória publicada no dia 30 de agosto. De acordo com a Ferroeste, nos próximos meses devem ser concluídos os estudos técnicos, jurídicos, econômicos e ambientais relacionados ao novo projeto. Tais análises indicarão o melhor traçado, questões ambientais de maior relevância e o formato do contrato de modernização e ampliação da estrada de ferro.

Um dos pontos mais importantes da estratégia da implementação da nova ferrovia está relacionado ao modelo de projeto, se será concessão ou privatização. O foco do estudo jurídico, um dos que estão em andamento, é identificar qual a melhor estratégia para oferecer a Nova Ferroeste para a iniciativa privada. 

O projeto de 1.285 quilômetros, que vai beneficiar Mato Grosso do Sul, prevê a revitalização e modernização do trecho existente e a ampliação do traçado, ligando Guarapuava a Paranaguá, no Litoral do Paraná, e Cascavel a Maracaju, no Mato Grosso do Sul. Também será construído um ramal ferroviário entre Cascavel e Foz do Iguaçu, favorecendo a produção do Oeste e dos países vizinhos.

Jornal Midiamax