Política

Frustrado com Reinaldo, ex-ministro Mandetta diz que governo do tucano é ‘mais do mesmo’

Mandetta afirmou ainda que acompanhou "estupefato" a Operação Vostok, que culminou na denúncia contra Reinaldo Azambuja (PSDB) por corrupção.

Jones Mário Publicado em 16/03/2021, às 14h15 - Atualizado às 17h58

Ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta | Foto: Leonardo de França | Midiamax
Ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta | Foto: Leonardo de França | Midiamax - Ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta | Foto: Leonardo de França | Midiamax

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta se disse frustrado com o governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) em Mato Grosso do Sul. Em entrevista ao Midiamax, o médico avaliou a gestão do tucano ao longo dos últimos seis anos como “mais do mesmo”.

“Em 2014, quando o Nelsinho [Trad, hoje senador pelo PSD] foi candidato a governador, eu não fiquei com ele. Pena que o Reinaldo, quem eu apoiei naquela época, tenha me frustrado também. Não me encanta”, afirmou o ex-ministro.

“Ele estava muito livre para fazer uma política nova, para propor uma coisa da nossa geração. Ele é mais ou menos da minha idade. Aí a gente começa a ver: Saúde, que é onde eu mais podia colaborar […], Cultura, Educação. Eu não vi. Eu achei mais do mesmo”, completou.

Mandetta disse ainda que acompanhou “estupefato” o desenrolar da Operação Vostok, que culminou na denúncia ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) que implica Reinaldo em corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Segundo o MPF (Ministério Público Federal), o tucano teria recebido R$ 67,7 milhões em propina do grupo JBS, via doações de campanha e notas fiscais falsas de venda de gado e carne – os “bois de papel”. Em troca, isentou a JBS de pagar R$ 209,7 milhões em impostos estaduais.

“Lógico que para minha geração isso não é bom. Isso faz com que as pessoas olhem e coloquem os políticos todos na mesma roda”, justifica.

Mandetta critica eventual continuidade: ‘não vejo brilho nos olhos’

Diante da frustração com Reinaldo, o ex-ministro da Saúde questiona uma eventual candidatura ao governo do Estado que pregue uma continuidade, como do secretário de Estado de Infraestrutura (Seinfra) Eduardo Riedel.

“Eu vejo alguns nomes, falam do Riedel, mas assim, precisa dizer: é continuidade? Se for essa continuidade, para mim, ela não me encanta, não vejo brilho nos olhos”, opina.

Veja a entrevista completa com o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta:

Jornal Midiamax