Política

Favorável à antecipação de feriados, vereador faz alerta: ‘se a Saúde estiver mal, a Economia vai cair’

Integrante da Comissão de Saúde, vereador Dr. Jamal (MDB) afirma que "alguma coisa tem que ser feita" para conter avanço da covid-19.

Jones Mário Publicado em 18/03/2021, às 18h44

Vereador Dr. Jamal, do MDB de Campo Grande (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)
Vereador Dr. Jamal, do MDB de Campo Grande (Foto: Izaias Medeiros/CMCG) - Vereador Dr. Jamal, do MDB de Campo Grande (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)

O vereador Dr. Jamal (MDB) aprovou a antecipação de feriados para tentar conter a emergência em Saúde com a escalada de casos, mortes e ocupação de leitos pela covid-19 em Campo Grande. Anunciada hoje (18) pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD), a medida vai fechar serviços não essenciais por uma semana.

“Com essa incidência da covid, e tem algumas pessoas que ainda não respeitam o distanciamento e o uso da máscara, eu concordo. Alguma coisa tem que ser feita. Se a Saúde estiver mal, a Economia também vai cair”, afirmou o vereador.

Dr. Jamal é médico, já foi secretário municipal de Saúde e hoje é vereador membro da Comissão Permanente do assunto na Câmara. O presidente da comissão, Dr. Sandro Benites (Patriota), também já manifestou apoio à medida.

Após reunião com secretariado na tarde de hoje (18), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) descartou implantar lockdown em Campo Grande. Em contrapartida, para frear o avanço da pandemia na cidade, determinou a antecipação de feriados na semana que vem.

De acordo com o prefeito, dos dias 22 a 26 de março, da próxima segunda até sexta-feira, serão antecipados os feriados dos dias 2 e 21 de abril, 3 de junho, 26 de agosto e 7 de setembro. Nestes dias, só poderão funcionar serviços essenciais durante 24 horas. Segundo Marquinhos, o comércio não essencial não poderá abrir.

Ainda de acordo com o prefeito, não foi decretado lockdown na cidade porque a avaliação é de que haverá diminuição do contágio ao restringir o horário de circulação das pessoas com a antecipação dos feriados.

São considerados serviços essenciais supermercados, farmácias e postos de combustíveis. O detalhamento sobre funcionamento de restaurantes e conveniências deve constar no novo decreto que a prefeitura de Campo Grande deve publicar até sexta-feira (19).

Jornal Midiamax