Política

Fala de Guedes ao criticar China gera bate-boca entre bolsonarista e petista na Alems

Presidente da Casa de Leis, Paulo Corrêa precisou intervir na discussão

Renata Volpe Publicado em 28/04/2021, às 11h02

Coronel David e Pedro Kemp discutiram durante sessão
Coronel David e Pedro Kemp discutiram durante sessão - Reprodução

Uma fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, criticando a China gerou discusão entre os deputados de Mato Grosso do Sul, Coronel David (sem partido) e Pedro Kemp (PT), durante sessão remota nesta quarta-feira (28). O presidente da Alems (Assembleia Legislativa) Paulo Corrêa (PSDB) precisou intervir.

Kemp usou a palavra para comentar a repercussão do vídeo de Paulo Guedes, que criticou a China. Guedes disse que o chinês" criou a Covid-19 e ainda produziu vacinas de eficácia mais baixa do que aquelas desenvolvidas por farmacêuticas dos Estados Unidos. 

Segundo Kemp, mais uma vez a Chia é ofendida de forma gratuita. “Justamente em um momento tão delicado que estamos vivemos com quase 400 mil mortos, num momento de crise econômica em que estados e municípios estão com a corda no pescoço sem saber o que fazer para manter as atividades econômicas funcionando”.

Conforme o parlamentar, o ministro colocou o país em uma situação constrangedora com a China, principal fornecedora de insumo para vacina da Covid-19. “O governo ao invés de ajudar, de fazer algo para aliviar essa crise social, econômica, sanitária, o ministro faz uma coisa dessa, é inadmissível”.

Ele ainda criticou o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). “Eu fico pensando que esse presidente da República escolheu a dedo pessoas incompetentes, sem preparação. Olha por quem estamos sendo governados, por pessoas irresponsáveis”.

O petista criticou a demora das vacinas. "Estamos sendo governados por um governo desastroso. A pandemia nos atingiu no pior governo do Brasil, em termos de preparo, inteligência, competência, capacidade. Espero que a CPI da Covid apure todas as omissões e possa responsabilizar esse governo por essa tragédia que estamos vivendo".

Coronel David estava inscrito para usar a palavra depois de Kemp. "Realmente, o governo do Bolsonaro não tem inteligência e competência para roubar, isso deixa para conta do Partido dos Trabalhadores, que roubou o povo brasileiro, usando dinheiro de todas as estatais, principalmente da Petrobras. Tanto que o líder maior deles (Lula), foi condenado em várias instâncias e por uma jogada política foi colocado nas ruas novamente".

Neste momento, Kemp afirmou que a condenção caiu por terra, foi quando David falou a Corrêa que não interferiu a fala de Kemp quando ele estava com a palavra. "O pessoal do PT gosta de falar, falam coisas que não existem, citam fatos irreais e eu não interrompo porque sou educado".

Kemp então, pediu uma aparte, sendo negada pelo bolsonarista. "Não vou conceder. O senhor já falou coisas irreiais e agora vou 'desdizer'", falou David. 

Coronel David disse ainda que, diferentemente das reuniões do PT em que eles ficavam reunidos para decidir qual órgão público eles iam roubar, nesse governo de Bolsonaro, as vezes algumas palavras vazam e criam espetáculo. Foi quando Kemp elevou a voz. "O senhor respeita meu partido, deputado. Falando que a gene se reúne para roubar, o senhor respeita meu partido"

David rebateu, também com voz alterada: "Fizeram bastante, que cara de pau, quem o senhor quem convencer desse jeito".

Paulo Corrêa pediu a compreensão de Kemp e afirmou que se continuasse, iria cortar o microfone dele. Ao finalizar, David disse: "Esses desasombros do deputado somente demonstram a capacidade dele e do partido dele, eles não servem para nada".

Jornal Midiamax