Política

Ex-ministro Pazuello entra em quarentena e não deve depor presencialmente na CPI da Covid

Ex-ministro teria tido contato com casos positivos e afirmou necessidade de isolamento

Guilherme Cavalcante Publicado em 04/05/2021, às 10h30

O ex-ministro Eduardo Pazuello
O ex-ministro Eduardo Pazuello - Foto: Divulgação

O ex-ministro da saúde Eduardo Pazuello comunicou à CPI da Covid que, por ter tido contato com militares que testaram positivo para covid-19, entrará em isolamento e não deverá depor presencialmente na comissão, em oitiva que estava prevista para esta quarta-feira (5).

A informação foi anunciada durante a primeira sessão da CPI, na manhã desta terça-feira (4), quando o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), destacou que a informação seria extraoficial e que aguarda confirmação.

“O ministro Pazuello teve contato com dois coronéis auxiliares dele neste fim de semana, que estão com Covid. Segundo a informação que eu tenho, ele estará em quarentena e não virá depor amanhã. Não é oficial, é extra-oficial”, disse Omar Aziz.

A possível ausência física de Pazuello nas oitivas causou a indignação da senadora de oposição Eliziane Gama (Cidadania-MA), que ironizou a situação. “Ele anda sem máscara em shopping e não pode vir a CPI?”, comentou. Na sequência, Aziz sugeriu que a CPI transfira para a quarta o depoimento do ex-ministro Nelson Teich, que sucedeu Mandetta na Saúde.

O depoimento de PAzuello é um dos mais emblemáticos da CPI, visto que são atribuídos à gestão do militar os momentos mais polêmicos da gestão federal da pandemia, como a falta de oxigênio no Amazonas e uso indiscriminado de medicamentos sem comprovação de eficácia na prevenção à covid-19.

Em outubro de 2020, Pazuello chegou a ser diagnosticado com covid-19.

Jornal Midiamax