Política

Encontro em Campo Grande sela acordo pelo 'União Brasil', mas reforça desejo do DEM por MS

A junção do DEM com o PSL deve resultar no maior partido do país

Renan Nucci Publicado em 24/10/2021, às 15h37

Barbosinha, à esquerda, Tereza Cristina e Zé Teixeira durante encontro
Barbosinha, à esquerda, Tereza Cristina e Zé Teixeira durante encontro - Assessoria

Durante reunião realizada na tarde de sábado (23), em Campo Grande, as principais lideranças do DEM (Democratas) no Mato Grosso do Sul foram uníssonas em seguir de mãos dadas rumo à criação do União Brasil, legenda que terá uma fusão com o PSL (Partido Social Liberal), já aprovada em encontro nacional por ambos os grupos partidários. No entanto, o DEM quer ter o controle da aliança no estado.

Participaram do encontro a ministra e deputada federal licenciada Tereza Cristina, os deputados estaduais Barbosinha e Zé Teixeira, prefeitos, vereadores e outros nomes do partido. “Nós queremos ser protagonistas, dialogamos naturalmente com os amigos do PSL, mas o DEM quer ter o comando em Mato Grosso do Sul”, afirmou o deputado Barbosinha.

Atualmente o partido dispõe de nomes de peso no cenário político nacional, como Tereza Cristina que está à frente do Ministério da Agricultura e Pecuária. Além disso, já teve o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e conta ainda com o vice-governador Murilo Zauith, com dois deputados estaduais, 14 prefeitos e 120 vereadores.

A junção com o PSL deve resultar no maior partido do país, ao menos em números na bancada da Câmara e valores do fundo partidário: Serão 81 deputados federais, sete senadores, três governadores e R$ 160 milhões de fundo eleitoral para a partilha na disputa de 2022. Neste sentido, Barbosinha afirma que o Democratas do Estado está unido em relação ao novo programa nacional.

“[...] e vai ficar unido, não somos contra a ideia da fusão, estamos acompanhando os desdobramentos no âmbito nacional, mas queremos discutir o controle da legenda em Mato Grosso do Sul”. 

O primeiro entrave colocado nessa questão regional é que, assim como ficou decidido na convenção nacional dos dois partidos, onde Luciano Bivar, atual presidente nacional do PSL é apontado como favorito para presidir a nova legenda, a senadora Soraya Thronicke, também do PSL, deseja o comando do ‘União’ no Estado. O atual presidente nacional do DEM, Antônio Carlos Magalhães Neto, é cogitado para ser o secretário geral da nova legenda.

Jornal Midiamax