Política

EM MS, Tereza Cristina lança programa de resgate de fauna silvestre

Lançamento do Programa de Resgate de Fauna Silvestre teve presença de Michelle Bolsonaro

Dândara Genelhú Publicado em 26/10/2021, às 12h25

None
Foto: Reprodução

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina (DEM, que se fundiu com o PSL para criação do União Brasil), lançou, nesta terça-feira (26), o Resgate+ (Programa Nacional de Resgate de Fauna Silvestre) em Mato Grosso do Sul. Durante o evento, a ministra também relembrou dos R$ 750 mil em investimentos na área de prevenção e combate aos incêndios em vegetações que fora anunciados em julho deste ano para serem encaminhados ao Estado.

Também participou do lançamento do programa de resgate a primeira-dama Michelle Bolsonaro. Segundo a ministra, ela “apoiou essa iniciativa desde o início”.

O programa tem a intenção de resgatar animais silvestres em situação de risco e vulnerabilidade. Além disso, deve fornecer atendimento e assistência para que estes vivam seguros em seu habitat.

Investimentos para MS

Segundo Tereza, ela e o ministro do MMA (Ministério do Meio Ambiente), Joaquim Leite, consultaram o Banco Mundial. Assim, relembrou que serão "mais de R$ 750 mil para cuidar dessas questões, principalmente incêndios” no Estado e em outras regiões afetadas.

“Aqui, agricultura e meio ambiente caminham juntos”, afirmou. Sobre a união para o Resgate+, ela disse que é “produção e conservação em conjunto”.

O hospital de Campanha que deve atender o Estado é fruto da “integração do setor público e privado”. Então, a ministra comentou sobre a beleza da fauna de MS e disse que o programa “vai fazer a diferença, vai salvar a vida dos animais, principalmente na situação em que passamos”.

Isso porque “há 50 anos nós não tínhamos uma seca como essa, que assola hoje nosso bioma em alguns estados brasileiros”. Além desses investimentos, MS deve ter programa para comunidades ribeirinhas.

“O secretário Jaime Verruck e eu conversamos com o Sebrae, sobre recursos para MS e MT de R$ 15 milhões para fazer um atendimento e levantamento sobre os ribeirinhos”. O projeto deve ver os problemas das comunidades, capacitar os ribeirinhos e melhorar a qualidade de vida desta população.

Jornal Midiamax