Política

Deputados federais de MS destinaram R$ 130 milhões em emendas para o Estado

Valores, no entanto, ainda não foram pagos, segundo Câmara Federal

Mayara Bueno Publicado em 27/07/2021, às 08h58

Deputados federais de Mato Grosso do Sul
Deputados federais de Mato Grosso do Sul - (Fotos: Câmara dos Deputados, Arquivo)

Os 8 deputados federais de Mato Grosso do Sul destinaram R$ 130.239.888 em emendas para o Estado. Algumas delas já tiveram o valor empenhado, quando há reserva daquela verba para posterior pagamento por parte do governo federal, mas nenhuma foi depositada ainda, de acordo com o sistema que a Câmara dos Deputados disponibiliza.

Em 2021, as emendas impositivas - obrigatórias para cumprimento - totalizam R$ 16.279.986 para cada deputado federal, distribuídas em até 25 emendas, das quais, metade, tem de ser encaminhada à saúde. Os pedidos de destinação de recursos já foram aprovados e integram a LOA (Lei Orçamentária Anual).

De saúde, agropecuária, cultura, até Forças Armadas

Na relação do deputado Fábio Trad (PSD), constam R$ 5.950.000,00 para 'incremento temporário ao custeio dos serviços de atenção primária à saúde para cumprimento de metas no Estado de Mato Grosso do Sul'. Não foi paga ainda, mas está com valor reservado. Também há R$ 2.420.000,00 para apoio à política nacional de desenvolvimento urbano voltado à implantação e qualificação viária em MS.

Rose Modesto (PSDB) destinou R$ 7.270.000,00 para estruturar unidade de atenção especializada em saúde e R$ 3.480.000,00 para fomentar o setor agropecuário - neste segundo caso, o recurso já foi empenhado.

O deputado Dagoberto Nogueira (PDT) reservou R$ 7.889.993,00 também para 'incremento temporário ao custeio de serviços de atenção primária à saúde para cumprimento de metas', além de R$ 1 milhão para 'transferências especiais'.

Loester Trutis (PSL) tem, entre as emendas de sua autoria aprovadas, uma de R$ 2.713.795,00, cujo valor já está reservado para custear serviços de assistência hospitalar e ambulatorial. Destinou, ainda, R$ 201.733,00 para apoiar as Forças Armadas e R$ 5.840.160,00 em 'transferências especiais'.

Do mesmo partido, Dr. Luiz Ovando tem R$ 100 mil para o Comando da Aeronáutica, voltada à 'inclusão social e valorização da cidadania'. Praticamente toda verba consta como 'empenhada'. Outros R$ 3.350.000,00 vão para atenção primária à saúde.

Vander Loubet (PT) destinou R$ 2 milhões para 'fomento da cultura brasileira em Campo Grande' e R$ 5.139.993,00 para 'incremento temporário ao custeio dos serviços de atenção primária à saúde para cumprimento de metas' em MS.

Deputada Bia Cavassa (PSDB) reservou, entre suas emendas, R$ 3.939.992,00 para apoiar desenvolvimento sustentável de local integrado. Ainda, R$ 500 mil para adequação de travessia urbana em Corumbá.

Do mesmo partido, Beto Pereira destinou R$ 5,4 milhões para implantação e modernização de infraestrutura para esporte educacional, recreativo e de lazer e R$ 5.112.023,00 para custeio de serviços de atenção primária. 

No sistema, não há detalhes, como cidades que vão receber o recurso, na maioria das emendas.

Jornal Midiamax