Política

Deputada de MS faz enquete sobre venda de remédios fora das farmácias

Proposta que autoriza a venda de medicamentos está em discussão na Câmara dos Deputados

Marcelo Nantes Publicado em 21/10/2021, às 15h26

Deputada de MS quer saber opinião da população sobre venda de medicamentos fora das farmácias
Deputada de MS quer saber opinião da população sobre venda de medicamentos fora das farmácias - Arquivo

A deputada sul-mato-grossense Rose Modesto (PSDB) decidiu consultar os seguidores na rede social sobre a venda de medicamentos sem receita médica em locais como supermercado, por exemplo.

O Projeto de Lei 1774/19, que permite a venda de medicamentos isentos de prescrição em outros estabelecimentos comerciais, além das farmácias, está em discussão na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. 

A comissão ouviu na segunda-feira (18) representantes do governo, dos farmacêuticos, da indústria e dos supermercados sobre a proposta. Segundo o presidente do Conselho Federal de Farmácia, Walter da Silva, apesar de não precisarem de prescrição, esses medicamentos exigem orientação para o uso, sob o risco de mascarar sintomas ou causar intoxicação dos usuários. 

“Pretender abolir a exigência desse espaço específico e adequado, onde as pessoas encontram à sua disposição um profissional habilitado a orientá-las, para dispor os medicamentos nas mesmas prateleiras que bolachas, que achocolatados, não tem para nós outra razão a não ser aumentar os pontos de venda de medicamentos, servindo a meros interesses econômicos e não à saúde”, alertou.

A proposta é polêmica. No Senado, há um projeto semelhante. Acredita-se que a medida possa diminuir os preços de medicamentos, como analgésicos e antitérmicos, e facilitar o acesso a esses produtos. 

Atualmente, a lei 5991/73 só permite a venda desses produtos em farmácias, drogarias ou a distribuição em postos de medicamentos. 

Com Agência Câmara de Notícias e Agência Senado

Jornal Midiamax