Política

CONFIRA: Reinaldo anuncia reajuste dos servidores estaduais de MS linear de 10% e abono

Abono salarial será incorporado para quem já recebe; data-base será antecipada de maio para janeiro

Renan Nucci e Renata Volpe Publicado em 16/11/2021, às 09h37

Reinaldo Azambuja, governador de MS, durante sessão da Assembleia Legislativa nesta terça-feira
Reinaldo Azambuja, governador de MS, durante sessão da Assembleia Legislativa nesta terça-feira - Marcos Ermínio/Midiamax

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) apresentou na manhã desta terça-feira (16), na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), projeto de Lei com reajuste linear a 81 mil servidores ativos e inativos do Estado. O índice de aumento foi de 10%, 'com abono anexado na tabela de vencimento de todos os servidores', segundo Reinaldo. 

A data-base também foi antecipada de maio para janeiro. O chefe do Executivo Estadual também incorporou abono salarial ao salário base para todos os que já recebem, conforme já anunciado anteriormente. Neste sentido, há também carreiras que terão readequação, como na Polícia Militar e nos administrativos da educação. 

Ao todo, são 15 projetos de lei próprios de reestruturação de carreiras. “Estamos discutindo com as categorias. Temos a questão dos administrativos da Educação, que tinham ficado para trás, temos a questão dos Bombeiros e PM, dos policiais civis e administrativos da Uems, das Uneis, são várias carreiras que têm suas próprias estruturas e precisam de um projeto específico”, explicou.

O projeto de reestruturação da carreira da Polícia Penal não será apresentado. De acordo com o governador, não foi chegado a um entendimento sobre como estruturar a carreira. “Uma questão que tem sido muito discutida, e que nós temos como prerrogativa na nossa Administração, é de não descumprir o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Então, todo este arcabouço de propostas apresentadas está dentro de um limite projetado”, pontuou.

Conforme o governador, o volume de ganhos aos servidores públicos pode ultrapassar, no próximo ano, a marca de R$ 1 bilhão. O fato de MS se adequar ao limite prudencial de gastos com pessoal, de que trata a Lei de Responsabilidade Fiscal, este ano, destrava todas as promoções e progressões aos servidores.

Estiveram na Assembleia para entregar os projetos o secretário da Casa Civil, Sérgio de Paula, o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, a secretária de Estado de Administração e Desburocratização, Ana Carolina Nardes, e o secretário de Fazenda, Felipe Matos. 

Custos

O governador lembrou que, ao assumir em 2015, o quadro de servidores era de 76.640 que custavam R$ 436 milhões por mês. Atualmente, a folha é de R$ 755 milhões para 81.112 servidores e, com o reajuste linear anunciado, deve ter um acréscimo de R$ 1,2 bilhão. “Houve um crescimento de 73,26% [antes do aumento anunciado de hoje], resultantes de adicionais, ascensões, reajustes e promoções. Saímos do limite prudencial justamente no início de 2021, foi neste sétimo ano que destravamos a maioria das progressões”, explicou.

De acordo com Reinaldo, o reajuste será todo pago de janeiro a dezembro de 2022, sem adiar nenhum índice apresentado nos projetos, como já foi feito em gestões anteriores. 

Matéria atualizada às 09h59 para acréscimo de informações.

Jornal Midiamax