Política

Com respaldo do agro e de Paulo Guedes, Tereza Cristina ganha força para ser vice de Bolsonaro em 2022, diz site

Ministra da Agricultura é constantemente elogiada pelo presidente e uma das remanescentes da configuração original do primeiro escalão de governo

Jones Mário Publicado em 05/08/2021, às 14h09

Ministra Tereza Cristina (DEM) ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Ministra Tereza Cristina (DEM) ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) - Marcos Corrêa/PR

O nome da ministra da Agricultura Tereza Cristina (DEM) voltou a ganhar força nas articulações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para disputar a reeleição em 2022. Segundo o site O Antagonista, a campo-grandense vem sendo cotada para ser candidata à vice.

O perfil de Tereza seria praticamente uma unanimidade no agronegócio, setor ao qual ela pertence e que foi um dos pilares da vitória de Bolsonaro em 2018. Conforme O Antagonista, existem empresários do segmento que inclusive apostam na ministra para encabeçar a chapa caso o presidente não consiga se viabilizar, ou seja, impedido por motivos de saúde.

Além disso, a democrata teria o respaldo do ministro da Economia Paulo Guedes. Fiel a Jair Bolsonaro, ele é um dos poucos remanescentes da primeira configuração do primeiro escalão de governo, assim como Tereza. Guedes ainda é tido como tesoureiro informal da campanha à reeleição, afirma O Antagonista.

Tereza Cristina é constantemente elogiada por Bolsonaro. A ministra evita entrar em rota de colisão com o presidente, até mesmo quando atuou para contornar crises diplomáticas com a China, criadas por alas mais ideológicas do governo.

Além de um eventual caminho para compor chapa com o atual chefe do Executivo federal, Tereza Cristina disse anteriormente que pode concorrer ao Congresso Nacional, seja à reeleição para a Câmara dos Deputados — ela está licenciada do cargo — ou mesmo a uma vaga ao Senado.

Jornal Midiamax