Política

Com reestruturação de carreiras, profissionais da saúde podem ter salários de R$ 1,4 mil a R$ 13,7 mil

Reorganização trata de cargos entre auxiliares, técnicos, médicos e dentistas

Renata Volpe Publicado em 17/11/2021, às 08h27

Servidores da saúde entram no quadro de reajuste salarial
Servidores da saúde entram no quadro de reajuste salarial - Ricardo Minella, Divulgação

A reorganização das carreiras da Gestão do Sistema Único de Saúde e Gestão de Serviços Hospitalares do Grupo Saúde Pública em Mato Grosso do Sul, trata de profissionais entre auxiliares, técnicos, médicos e dentistas, e têm salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 13,7 mil. 

Segundo o projeto de lei de número 333/2021, a reorganização trata dos cargos de Especialistas de Serviços de Saúde, Profissional de Serviços Hospitalares, Fiscal de Vigilância Sanitária, Auxiliar de Serviços de Saúde, Auxiliar Técnico de Serviços Hospitalares, Assistente de Serviços de Saúde, Técnico de Fiscalização Sanitária, Técnico de Serviços Hospitalares, Especialista de Serviços de Saúde, Profissional de Serviços Hospitalares na função de médico, cirurgião-dentista e odontólogo, Analista de Sistemas.

A proposta é de reajuste de revisão geral anual mais reajuste setorial (correção de distorções). O salário mais baixo, de R$ 1,4 mil, é de auxiliar de serviços de saúde no início de carreira, nível I. 

O projeto de lei tem nove tabelas com as remunerações. Confira a seguir:

Jornal Midiamax