Política

Com grupos interessados, Porto Seco de Campo Grande pode avançar no próximo mês

Parque Tecnológico da Esplanada deve ter obras iniciadas até 2022

Dândara Genelhú Publicado em 22/09/2021, às 17h54

Prefeito e subsecretária questionaram sobre a nova concessão da BR-163.
Prefeito e subsecretária questionaram sobre a nova concessão da BR-163. - Foto: Reprodução.

Campo Grande pode avançar na construção do Porto Seco já no próximo mês. Em agenda do executivo da Capital em Brasília, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas afirmou que existem grupos interessados no projeto.

Conforme a subsecretária de Gestão e Projetos Estratégicos, Catiana Sabadin, a reunião buscou saber como fica a situação da Malha Oeste, com o novo marco regulatório. O encontro aconteceu entre o prefeito Marquinhos Trad (PSD), o ministro da Infraestrutura e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

“Estamos muito interessados devido à ativação dessa ferrovia, pelo nosso terminal intermodal de cargas localizado ali”, lembrou. O terminal foi entregue em dezembro de 2020 e tem estimativa de movimentar até 2,2 milhões de toneladas de mercadoria por ano.

Assim, a subsecretária afirmou que existem grupos interessados no projeto. “Eles também já estão fazendo estudos internos e devemos ter boas notícias no próximo mês”, revelou.

Concessão da CCR

Na mesma oportunidade, o executivo de Campo Grande questionou sobre as concessões da BR-163, com a saída da CCRMSVIA da administração. Catiana afirma que “estão os novos estudos devido ao nosso anel rodoviário ali e os acessos ao perímetro urbano”.

O ministro sugeriu que eles conversem diretamente com a área técnica. “Para que esses acessos sejam considerados nos novos estudos para concessão, na BR 163 que cruza Campo Grande”.

Parque Tecnológico

Durante a manhã desta quarta-feira (22), eles participaram de reunião com o Ministério do Desenvolvimento Regional, para tratar sobre o Parque Tecnológico. Catiana disse que foi solicitado uma nova estruturação do projeto, que já foi enquadrado como viável pela Pasta.

O projeto está com a financiadora, a Caixa Econômica Federal, que vai realizar análises da capacidade do município para obtenção desses recursos. A subsecretária comenta que a etapa final é um rito burocrático para finalizar o contrato.

“Nós imaginamos hoje, conversando com o Ministério, nós gostaríamos de finalizar esse ano, para no ano que vem já ter obras no espaço”, afirma. O Parque será implantado na Esplanada Ferroviária. 

Jornal Midiamax