Política

Câmara homenageia personalidades relacionadas às aldeias e comunidade negra

Durante sessão segunda-feira serão entregues o prêmio Marçal de Souza Tupã’Y e diplomas Zumbi dos Palmares

Marcos Morandi Publicado em 29/11/2021, às 10h31

Solenidade acontece durante sessão ordinária programa para as 18 horas
Solenidade acontece durante sessão ordinária programa para as 18 horas - Marcos Morandi

A Câmara de Dourados realiza na próxima segunda-feira (29), às 18h, sessão solene de entrega do prêmio Marçal de Souza Tupã’Y. A homenagem é destinada às pessoas que tenham se destacado na produção jornalística, artística, literária ou científica com temas voltados à problemática indígena.

Na mesma oportunidade também será realizada a 2ª edição do Diploma Zumbi dos Palmares, concedido a personalidades ou entidades que tenham oferecido contribuição relevante em prol da comunidade negra.

A educadora e jornalista Veronice Lovato Rossato será a homenageada com o prêmio Marçal de Souza Tupã’Y. Natural do Rio Grande do Sul, ela trabalha na formação de professores indígenas há 36 anos.

Ela atua na assessoria à produção de recursos pedagógicos, através de livros etnográficos em língua guarani e textos com orientações pedagógicas. No ano passado, publicou sua pesquisa de mestrado sobre educação indígena atualizada em formato de livro, com o título "Será o letrado ainda um dos nossos? os resultados da escolarização entre os guarani e kaiowa”.

 A professora também ajudou o movimento dos professores indígenas a elaborar e propor um curso normal médio (para habilitar oficialmente os indígenas como professores de anos iniciais) e a construir a licenciatura intercultural teko arandu na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), onde também atuou como professora voluntária durante 5 anos.

Comunidade negra

O Diploma Zumbi dos Palmares terá cinco categorias, sendo um homenageado para cada uma delas. A cantora, compositora, designer de moda e bacharel em Direito pela UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) Raíssa Souza Carvalho, será a homenageada na área Cultural. Com apenas 26 anos, a jovem cantora vem se destacando no cenário artístico da região pela forma enérgica e original de seus lançamentos e apresentações.

Em 2020, a mc foi selecionada para a Mostra de Videoclipes do Formemus, maior evento de formação na área musical do Brasil. Neste ano, a jovem também se classificou entre os finalistas da etapa nacional do concurso global Vans Musicians Wanted, realizado pela marca original Vans. Atualmente, Raíssa trabalha no projeto “Show Soulra: a flor da pele”, acompanhada pelos músicos Hélio Cruz, Igor, João Gabriel Borges, dj Gio Marx e Negabi.

Na área da Política, a homenagem será concedida a Naiara Fonteles, presidente do Conselho Municipal de Defesa e Desenvolvimento de Direitos dos Afro-brasileiros (Comafro). Também com 26 anos, Naiara é acadêmica do curso de Letras na UEMS e tem se destacado na luta pela promoção da igualdade racial.

Além de atuar na coordenação do 1° encontro dos Povos de Terreiro de Dourados, realizado recentemente no município, a jovem coordenou e idealizou o evento anual “Noite Cultural”, alusivo ao Dia da Consciência Negra. Ela também é membro do centro cultural de valorização e divulgação da cultura afro-brasileira e africana “Quintal de Palmares”.

Terreiro de candomblé

Já a Associação Rural Quilombola Dezidério Felipe de Oliveira, que atua no auxílio e proteção às famílias de comunidades remanescentes de quilombo na região do distrito da Picadinha, será homenageada na categoria Social.

Na área Educacional, a homenageada deste ano é a professora Elizete de Souza Bernardes. Doutora em linguística pela Universidade Federal de São Carlos, Elizete é professora do IFMS (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul), campus Dourados, e atualmente se dedica a pesquisas voltadas para os estudos dos discursos sobre a violência do corpo negro e para uma educação das relações étnico-raciais. 

Já na área religiosa, o homenageado com o Diploma Zumbi dos Palmares será Iliê Axé Angola Megemuleboanã. Fundador do terreiro de candomblé que leva seu nome, o espaço contribui há 28 anos para a preservação, valorização e difusão das culturas africanas e afro-brasileiras em Dourados.

Jornal Midiamax