Política

Câmara de Campo Grande marca sessão extraordinária para votar orçamento de R$ 4,6 bilhões

A peça prevê margem de 15% para prefeitura mexer na receita sem autorização da Casa de Leis

Mayara Bueno Publicado em 17/06/2021, às 09h53

Vereadores durante sessão virtual, adotada por causa da pandemia de coronavírus
Vereadores durante sessão virtual, adotada por causa da pandemia de coronavírus - (Foto: Reprodução, Facebook, Arquivo).

A Câmara Municipal de Campo Grande marcou sessão extraordinária, para próxima terça-feira (22), destinada a votar a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2022. Na ocasião, a peça, que prevê despesas e investimentos no próximo ano, será analisada em segunda votação.

Segundo a Casa de Leis, o relatório contém 19 emendas, das quais, uma delas autoriza a Prefeitura de Campo Grande a remanejar até 15% do orçamento, sem autorização da Câmara Municipal. O texto deverá ser lido em plenário antes da votação. A peça deve ser analisada em primeira votação na sessão 'regular' da terça-feira.

A projeção, para o próximo ano, é receita de R$ 4.669.218.551,82, crescimento de 0,37% quando comparado ao estimado para o orçamento deste ano, de R$ 4.651.921.451,00. A LDO antecede a LOA (Lei Orçamentária Anual), que traz mais definições quanto ao orçamento municipal.

Jornal Midiamax