Política

Autor de novo pedido diz que tem aval de 12 vereadores para CPI do Consórcio Guaicurus

Requerimento será apresentado após o recesso parlamentar da Câmara Municipal de Campo Grande

Mayara Bueno Publicado em 18/06/2021, às 12h18

Transporte coletivo de Campo Grande
Transporte coletivo de Campo Grande - (Foto: Arquivo, Midiamax)

Vereador que está propondo a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Consórcio Guaicurus, concessionária do transporte coletivo, na Câmara Municipal de Campo Grande, Marcos Tabosa (PDT) afirma que tem aval de 12 vereadores para abrir a investigação. No entanto, pedido oficial só deve ser apresentado à Casa de Leis após o recesso parlamentar.

Além dele, assinaram Camila Jara (PT), Clodoilson Pires (Podemos), Ronilço Guerreiro (Podemos), Zé da Farmácia (Podemos), Valdir Gomes (PSD), Delei Pinheiro (PSD), Tiago Vargas (PSD), Willian Maksoud (PTB), Alírio Villasanti (PSL), Professor André (Rede) e Edu Miranda (Patriota). "Precisávamos de 10, temos 12. São suficientes para apresentar o requerimento para votação em plenário".

Segundo o parlamentar, a medida só vai ser encaminhada após o recesso, entre julho e agosto, porque, atualmente, a Casa de Leis discute projetos complexos, como a reformulação do Prodes (Programa de Desenvolvimento Econômico e Social) e reforma da Previdência de Campo Grande. "Se a gente apresenta agora, pode congestionar os trabalhos. Espero que os vereadores votem a favor".

A possibilidade de uma CPI para apurar questões vinculadas ao contrato do Consórcio Guaicurus com a prefeitura, é sempre levantada no Legislativo municipal, uma vez que também são constantes as reclamações de usuários em relação à qualidade do serviço.

Tabosa citou, durante sessão na Câmara Municipal de Campo Grande desta semana, que é 'estranho' uma empresa reclamar que tem prejuízos, mas continuar com o controto. "Tem algo nebuloso", disse na ocasião. Na legislatura passada, o então vereador Vinícius Siqueira (PSL) pediu a instauração do colegiado, mas não conseguiu apoio suficiente para tanto.

Jornal Midiamax