Política

Assomasul diz que novas medidas são necessárias e sugere mais restrições onde risco é maior

Entidade emitiu minuta para que municípios sob risco extremo endureçam ainda mais as restrições para enfrentamento da pandemia de covid-19.

Jones Mário Publicado em 24/03/2021, às 19h20 - Atualizado em 25/03/2021, às 11h55

Prefeito de Nioaque Valdir Júnior, presidente da Assomasul (Foto: Reprodução/Facebook/Assomasul)
Prefeito de Nioaque Valdir Júnior, presidente da Assomasul (Foto: Reprodução/Facebook/Assomasul) - Prefeito de Nioaque Valdir Júnior, presidente da Assomasul (Foto: Reprodução/Facebook/Assomasul)

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) Valdir Júnior (PSDB) endossou o novo decreto estadual para enfrentamento da pandemia de covid-19. Segundo ele, a entidade ainda emitiu minuta aos municípios sob maior risco para que adotem medidas ainda mais duras, caso julguem necessário.

“São medidas necessárias para prevenir essa nova variante. Os leitos nas micro e macrorregiões estão com capacidade máxima. Mas fica a critério dos municípios que estão na bandeira cinza ser mais restritivos”, disse o presidente da Assomasul, que é prefeito de Nioaque.

Mato Grosso do Sul tem quatro municípios em grau extremo de risco para a covid-19, segundo os parâmetros do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia). São eles: Campo Grande, Aral Moreira, Bela Vista e Costa Rica.

Em decreto publicado hoje (24), o governo do Estado impôs o fechamento de todas as atividades consideradas não essenciais por dez dias. As restrições começam na sexta-feira (26) e seguem até o dia 4 de abril.

Entre as medidas estão a manutenção do toque de recolher das 20h às 5h. Mas, nos próximos dois finais de semana, a circulação de pessoas está proibida das 16h às 5h.

Podem funcionar fora do horário de restrição os serviços de saúde, de transporte, de fornecimento de alimentos e medicamentos por meio de delivery, farmácias ou drogarias, funerárias, postos de combustíveis, indústrias, restaurantes instalados no interior de postos de combustíveis localizados em rodovias e hotéis.

Hipermercados, supermercados e mercados também se enquadram na exceção, com acesso permitido de apenas uma pessoa por família.

O novo decreto ainda determinou o fechamento de balneários e centros esportivos durante o período, bem como de salões e clubes. As restrições se estendem a todas as atividades, eventos, reuniões e festividades, em espaços públicos ou privados, que possam acarretar aglomeração de pessoas.

Hoje, Mato Grosso do Sul tem uma média móvel diária de 1.167,3 casos e 29,4 mortes pela covid-19. Segundo boletim da SES (Secretaria de Estado de Saúde), as últimas 24 horas foram de 1.616 novos diagnósticos positivos e 20 óbitos.

Jornal Midiamax