Política

Assembleia lê ofício, mas não marca reunião com sindicalistas contra aumento de Reinaldo

O ofício protocolado ontem, quarta-feira (3), pelo Fórum dos Servidores Públicos de Mato Grosso do Sul foi lido durante a sessão desta quinta-feira (4) da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul). Apesar disso, não houve nenhuma manifestação sobre o pedido. Representantes sindicais querem discutir as últimas mudanças no regime de Previdência […]

Adriel Mattos Publicado em 04/02/2021, às 12h07 - Atualizado às 12h25

Foto: Wagner Guimarães, Alems
Foto: Wagner Guimarães, Alems - Foto: Wagner Guimarães, Alems

O ofício protocolado ontem, quarta-feira (3), pelo Fórum dos Servidores Públicos de Mato Grosso do Sul foi lido durante a sessão desta quinta-feira (4) da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul). Apesar disso, não houve nenhuma manifestação sobre o pedido.

Representantes sindicais querem discutir as últimas mudanças no regime de Previdência estadual, previstas em lei sancionada no ano passado. As alíquotas de contribuição foram fixadas em 14% para servidores ativos e inativos e 25% para o Estado. A alteração consolidou a Reforma da Previdência de 2019.

A líder do governo na Casa de Leis, Mara Caseiro (PSDB), disse ao Jornal Midiamax que a realização do encontro depende do presidente Paulo Corrêa (PSDB). A assessoria do tucano não respondeu até a publicação desta reportagem.

Fórum de Servidores Públicos, reforma da previdência estadual
Fórum de Servidores Públicos de MS protocolou ofício na Assembleia (Foto: Divulgação)

Entenda

Na época da proposta para a Previdência, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) justificou que a Ageprev (Agência de Previdência Social de Mato Grosso do Sul) operava com déficit financeiro mensal de R$ 29,8 milhões. Além disso, alegou necessidade de alinhar as regras do regime estadual com a reforma feita em âmbito federal.

O Fórum de Servidores Públicos aponta falta de diálogo do governo do Estado com a categoria. A reforma foi enviada pelo Executivo, aprovada e sancionada em meio à pandemia de Covid-19. Na época – e até hoje –, a presença do público no plenário da Assembleia foi vetada para evitar aglomerações.

A entidade levanta preocupação principalmente com os servidores aposentados e pensionistas. O Fórum reúne sindicatos e associações que representam trabalhadores estaduais dos três poderes.

Jornal Midiamax