Política

Flagra de despejo irregular de esgoto em MS é exposto na Alems

Vídeo que teria sido gravado na última quarta-feira (16) mostra o que seria o esgoto sem tratamento sendo despejado no Rio Paraná, em Aparecida do Taboado, distante 462 km de Campo Grande. A situação chegou até o conhecimento da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), nesta quinta-feira (17). O vídeo foi mostrado pelo […]

Fábio Oruê Publicado em 17/12/2020, às 16h49 - Atualizado às 18h15

Bueiro transbordando e indo em direção as margens do Rio Paraná. (Foto: Reprodução)
Bueiro transbordando e indo em direção as margens do Rio Paraná. (Foto: Reprodução) - Bueiro transbordando e indo em direção as margens do Rio Paraná. (Foto: Reprodução)

Vídeo que teria sido gravado na última quarta-feira (16) mostra o que seria o esgoto sem tratamento sendo despejado no Rio Paraná, em Aparecida do Taboado, distante 462 km de Campo Grande. A situação chegou até o conhecimento da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), nesta quinta-feira (17).

O vídeo foi mostrado pelo deputado Renan Contar (PSL) ao demais parlamentares. Nas imagens, é possível ver o bueiro do emissário transbordando e formando um ‘riacho’ de água e espuma até as margens do rio. O fornecimento de água e tratamento de esgoto na cidade é feito pela Sanesul (Empresa de Saneamento de MS).

“É repugnante ver uma água fétida e turva ser despejar desta forma em um patrimônio tão bonito que pertence a todos nós”, disse Contar durante a sessão. Ele contou que já havia ido ao local com o então vereador José Natan (Pode) e constatou o despejo do mesmo esgoto pelo emissário.

Veja o vídeo:

Deputado Barbosinha (DEM) entrou em defesa da Sanesul e disse que entrou em contato com o diretor-presidente da empresa, Walter Carneiro Jr., que informou ao parlamentar que o referido ponto é “ato de sabotagem e objeto de inquérito policial”.

“Os PV’s [poços de visita ou bueiro] foram enchidos de entulhos, de material; Os PV’s que descem do emissário para o Rio Paraná; ato claro de sabotagem. A Sanesul desobstruiu, mas muito desse material entrou para o emissário e esse emissário possivelmente vai ter que ser cortado porque encontrasse obstruído.

Outro vídeo gravado com a presença de funcionários da Sanesul, que foram vistoriar o bueiro, não é possível ver resíduos ou objetos que façam ele transbordar como estava, naquela parte do encanamento.

Confira o vídeo: 

Jornal Midiamax